Últimas

A guerra acabou? Uber anuncia união inusitada com taxistas

A empresa americana segue o modelo adotado pelos rivais 99 e Cabify e oferecerá corridas com motoristas particulares e taxistas


Os tempos das brigas entre taxistas e motoristas de Uber parecem ter ficado para trás. Nesta quinta-feira (30), em um comunicado publicado pela empresa, foi anunciada a inclusão da opção “táxi”, assim como acontece nos rivais 99 e Cabify. Segundo a empresa americana, a nova modalidade de corridas no seu aplicativo é uma maneira de oferecer mais opções de deslocamento aos usuários, tanto para pessoas físicas quanto para empresas.

Os taxistas credenciados na prefeitura local poderão baixar o aplicativo da Uber e iniciar o cadastro na plataforma a partir da próxima semana. A nova modalidade de corridas estará disponível já na próxima semana na cidade de São Paulo, se tudo ocorrer como a empresa espera.

O município de São Paulo pode ser o primeiro do Brasil a contar com a novidade da Uber, mas não será a primeira da América Latina. A função Uber Taxi já funciona em Santiago, no Chile, desde .

A aposta da Uber nas corridas de táxi acontece devido a uma demanda dos clientes corporativos, que não tinham a opção de solicitar táxis no aplicativo. Com isso, a competição esquenta nas empresas. A Uber terá rivais como a 99, a Cabify e a Wappa no segmento empresarial.

“O Uber Taxi é um pedido recorrente dos nossos clientes corporativos, que gostariam de poder usar esse serviço contando com ferramentas como o compartilhamento de viagens em tempo real e outros recursos de segurança do aplicativo”, diz, em nota, Claudia Woods, diretora geral da Uber no Brasil.


Será o fim da confusão?

A novidade pode por fim na briga entre motoristas de táxi e de aplicativos, existente desde a chegada da Uber no Brasil. Para os taxistas, o Uber devia ser proibido por não possuir uma lei específica e não estar sujeito a regulamentações que taxistas são obrigados a cumprir, como a necessidade do alvará para conduzir um táxi.

Em 2019, o Supremo Tribunal Federal regulamentou a atividade e definiu que o motorista dos aplicativos devem possuir uma versão da Carteira Nacional de Habilitação na categoria B ou superior, e informar que exerce atividade remunerada, além de outros pré-requisitos. Até então, a empresa operava no Brasil no limite da legislação, o que inicialmente gerou confrontos entre motoristas que trabalhavam com o aplicativo e taxistas. Hoje, a rivalidade se tornou mais branda e a nova iniciativa da Uber pode transformar concorrência em parceria.


Exame

Nenhum comentário