Últimas

Seag participa de painel sobre ‘Política e Ações Estaduais para Desenvolvimento da Cafeicultura’

As principais políticas públicas e ações que vêm sendo desenvolvidas nos principais estados brasileiros produtores de café foram temas abordados no painel “Política e Ações Estaduais para o Desenvolvimento da Cafeicultura”, que ocorreu nessa quinta-feira (19), durante a programação da Semana Internacional do Café (SIC) 2020.

O evento virtual foi coordenado pela secretária de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, Ana Maria Valentini, e reuniu representantes das Secretarias de Agricultura do Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás, Paraná e Bahia, que apresentaram os principais investimentos na cafeicultura.

“Estamos aqui para conversar com os secretários dos outros Estados produtores e ouvir um pouco como está o andamento das culturas. Algumas regiões com excesso de chuva, outras com seca. Por isso, vamos trocar experiências e tentar uniformizar nossas políticas púbicas para os próximos anos”, ponderou a secretária Ana Valentini.

Ela destacou ainda o recorde histórico dos produtores mineiros de café, com 33 milhões de sacas, tornando o Estado responsável por 54% da safra cafeeira do Brasil. “Tivemos um crescimento de 23% no volume e 8% no valor das nossas exportações. O café realmente ajuda muito o nosso Estado e, por isso, a pesquisa não pode parar”, acrescentou a secretária de Minas Gerais.

O Espírito Santo, segundo maior produtor de café do país, vem investindo forte na estratégia voltada para a qualidade e sustentabilidade do café. “Somos um dos poucos lugares do mundo onde os cafés conilon e arábica estão caminhando juntos, em qualidade e produtividade. No caso do arábica, atingimos 1,5 milhão de sacas de café especial. É um número diferenciado, já que o café gourmet requer um cuidado especializado. Felizmente, temos muitos produtores aderindo a este tipo de café”, ressaltou o secretário de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca, Paulo Folleto.

Foletto destacou ainda os trabalhos em pesquisa. "No conilon são mais de dez cultivares registrados e recomendadas pelo Incaper, além de sete projetos em fase de contratação por meio do Banco de Projetos da Seag. São investimentos como esses que elevam a qualidade dos nossos cafés, abrindo novas oportunidades de mercado", disse o secretário.

Além dos secretários de São Paulo, Espírito Santo e Bahia, também participaram do evento virtual Marcelo Queiroz, secretário de Agricultura do Rio de Janeiro; Donalvam Moreira da Costa Maia, superintendente de Produção Rural Sustentável da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Goiás; e Norberto Anacleto Ortigara, secretário de Agricultura e do Abastecimento do Paraná.

Ainda foram ouvidos na reunião o presidente da Cooperativa Agropecuária dos Produtores Orgânicos de Nova Resende e Região (Coopervitae), Alessandro Miranda, e o presidente do Consórcio Público para o Desenvolvimento do Café no Sul e Sudoeste de Minas Gerais (Concafé), Claudeci Divino.


Com informações da Ascom/Seapa

Nenhum comentário