Últimas

7 dicas para acalmar os pets nas festas de final de ano

 


O medo de fogos de artifícios e o incômodo ocasionado pelas festas são situações comuns entre os animais de estimação durante o final de ano. A música alta e a bagunça podem amedrontar e estressar os pets, causando sofrimento, fugas e até um comportamento agressivo.

Confira a seguir sete dicas para acalmar cães e gatos neste período e mantê-los em segurança! 


1. Ressignifique os fogos

Além de alto e intenso, os pets não sabem o que significa o som dos fogos e acabam associando-o com perigo. Por isso, cabe ao dono a dessasociação com situações ruins. Segundo a adestradora Maria Lucia Alves de Araújo, franqueada da Cão Cidadão, o ideal é treinar e acostumar o bicho de estimação com o som desde filhote, combinado sempre a brincadeiras e comemorações, para que ele entenda que o barulho é sinônimo de algo bom.

Se o cão ou o gato for maior e já tiver medo, ela indica alguns exercícios para dessensibilizar o som. “Utilize áudios quem imite fogos de artifício em uma altura baixa ou média. Ao mesmo tempo que reproduz, ofereça petiscos, brinque de bolinha, distraia o pet e, gradualmente, aumente o som ainda enquanto interage”, ensina. A dica é não esperar que a situação aconteça de verdade para tentar acostumá-lo.


2. Proteja os ouvidos

Os cães têm a audição extremamente desenvolvida e são capazes de ouvir o som a uma distância quatro vezes maior do que nós, humanos. Por isso, é importante usar protetores auriculares ou até mesmo um algodão nos ouvidos do pet para protegê-los do barulho excessivo. Na dúvida de como realizar a técnica, o ideal é visitar um médico veterinário nos dias que antecedem as festas e pegar todas as orientações.

3. Acostume-os com barulhos

O ideal é acostumar os animais com barulhos e agitos, para que ele não sofra e nem se estresse tanto em momentos de festas. Se ao longo do ano a casa é mais calma, uma boa dica é, alguns dias antes das comemorações, habituar o pet com música alta. "Se nada disso adiantar, uma outra possibilidade é deixar a televisão ligada durante a queima de fogos, com o volume alto e em uma programação que possa chamar a atenção do animal", sugere Érico Miguel, técnico da Ideia Glass. 

4. Faixa protetora

Para aliviar a tensão no pet, uma opção é colocar nele um colete protetor ou até mesmo abraçá-lo com uma faixa ao redor do seu corpo. É uma forma do animal se sentir abraçado e acolhido. Se a opção escolhida for a faixa, é preciso seguir um passo a passo. "Basta colocar a faixa na altura do peito do animal e cruzar as pontas depois do pescoço, na altura do dorso. Depois, é preciso fazer o mesmo abaixo, na altura do dorso, e, por fim, dar um nó firme, perto da coluna", explica Érico. O ideal é testar antes do evento para entender a reação do cão.


5. Mantenha-os por perto

Se você vai viajar ou passar a virada do ano em outro local que não seja a sua casa, o mais indicado é levar seu pet com você, afinal, ele se sente mais seguro estando perto dos donos. Mas, se por acaso não for possível levá-lo, antes de sair de casa faça algumas sessões de treinamento e prepare um espaço tranquilo em casa para que ele fique o mais confortável possível.

6. Crie um ninho

Para que ele se sinta mais calmo, é importante deixar no local a caminha e brinquedos, além de comida e água. Outra ação essencial é manter janelas e passagens fechadas, pois no susto, os pets podem escapar e se machucar. "Uma dica para fechar o local onde o animal ficará é utilizar uma porta de vidro, que diferente das de ferro, impede que ele machuque as patas ao tentar escapar pelas frestas ou prenda a cabeça entre as grades", explica Érico. Além disso, alguns cachorros costumam se esconder debaixo dos móveis, o que é extremamente normal. Maria Lucia aconselha não tentar tirá-los de onde eles se consideram seguros e nem criar situações fora do comum.

7. Identifique o pet sempre

Uma dica muito importante – e não só para a época de festas de fim de ano – é identificar seu cachorro ou gato com uma plaquinha na coleira. Nela deve conter o nome dele, o seu e um telefone para contato. “É muito importante porque na hora do susto com o barulho dos fogos, eles podem correr e escapar”, esclarece a adestradora.


Casa e Jardim

Nenhum comentário