Últimas

Iema assina acordo de cooperação técnica para proteção das Unidades de Conservação Monast e REBio

 


O Governo do Espírito Santo, por meio do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema), e a Vale assinaram, nesta quinta-feira (03), um acordo de cooperação técnica para apoio nas atividades de proteção ecossistêmica de duas Unidades de Conservação (UCs) de proteção integral. As UCs beneficiadas serão o Monumento Natural Estadual Serra das Torres (Monast), que fica em Atílio Vivácqua, Mimoso do Sul e Muqui; e a Reserva Biológica Duas Bocas (REBio Duas Bocas), localizada no município de Cariacica.

O acordo tem vigência de cinco anos, período no qual os mais de 13 mil hectares, somando-se as áreas das duas unidades, serão beneficiados com investimentos de cerca de R$ 6,2 milhões. Serão, em média, R$ 1,3 milhão por ano, sendo cerca de R$ 1 milhão aportados no Monast e R$ 300 mil na REBio.

Para o governador Renato Casagrande, o Estado pode se tornar referência também na preservação ambiental. “O Espírito Santo é referência em muitos assuntos, como na gestão fiscal e na educação. Podemos ser também referência na área ambiental. Para isso, a participação das grandes empresas é fundamental. Temos programas na área de recursos hídricos e ambiental”, disse.

Os valores, oriundos da empresa, serão investidos gradualmente na proteção da biodiversidade das UCs, para garantir a disponibilidade dos recursos necessários (material e pessoal) para a prevenção e combate aos incidentes; garantir equipes preparadas para atendimento aos diversos cenários possíveis; resguardar a floresta da exploração predatória e realizar ações de prevenção e combate à caça, ao roubo de madeira, à coleta de recursos botânicos e à ocorrência de incêndios.

“A Vale tem um compromisso de preservação, dentro de sua Meta Florestal, que é recuperar e proteger 500 mil hectares de áreas até 2030. Dentro desse total, 400 mil hectares são em UCs em locais onde a empresa tem suas atividades, por isso, nossas Unidades foram contempladas. São recursos importantes para a gestão e a proteção da biodiversidade em cada uma delas”, afirmou o gerente de Recursos Naturais do Iema, José de Aquino Machado Júnior.

Além disso, a empresa também fornecerá ao Iema o Sistema de Gestão Integrada de Áreas Protegidas (SGIAP), um software para armazenar, organizar e a integrar dados de áreas ambientais. Esse sistema já é usado na Reserva Natural Vale (RNV), em Linhares, e na Reserva Biológica de Sooretama, sob gestão do ICMBio. “Por meio dele, será possível concentrar em um só lugar o controle de patrimônio e manutenção, a disponibilidade de recursos e diversos dados como, por exemplo, se houve focos de queimadas, pesquisas e afins nas UCs”, explicou o gerente.

A partir desses dados, os gestores poderão desenvolver estratégias mais eficazes para contribuir com a conservação da biodiversidade do Monumento Natural Estadual Serra das Torres e da Reserva Biológica Duas Bocas.

“Em 2020 reafirmamos nosso compromisso de ajudar a conter o avanço do aquecimento global, causado pela emissão de gases de efeito estufa. Estabelecemos a meta de chegar a 2050 como uma empresa carbono neutra. Isso significa reduzir não só as nossas emissões como influenciar nossa cadeia de valor”, declarou o diretor-executivo de Relações Institucionais, Comunicação e Sustentabilidade da Vale, Luiz Eduardo Osorio.

“Estamos avançando com iniciativas concretas, e a Reserva Natural Vale terá papel fundamental em nossa meta de recuperar e proteger além das nossas fronteiras e do que já protegemos hoje. Atualmente, protegemos ou ajudamos a proteger cerca de 51 mil hectares de áreas florestais no Espírito Santo. É com esse propósito que formalizamos o acordo de cooperação técnica com o Iema para proteção dessas duas unidades de conservação”, completou Osorio.


Governo ES