Últimas

Estado estabelece medidas de rastreamento para todos os trabalhadores de contato direto com os pacientes do Amazonas

A Secretaria da Saúde (Sesa) adotou uma importante medida complementar de rastreamento laboratorial para detecção da SARS-CoV-2 em todos os trabalhadores envolvidos na transferência e acolhimento dos pacientes do Estado do Amazonas para o Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, localizado na Serra, na última semana. 

Com o objetivo de monitorar, diagnosticar e bloquear os possíveis casos, os profissionais da remoção, apoio e assistência, diretamente envolvidos na operação estão sendo testados por meio de exame de RT-PCR, desde o último sábado (23), antes do 3º dia de contato com os pacientes. Para os casos que apresentarem resultados positivos ou inconclusivos, o isolamento imediato é adotado e todos seus contatos sociais e intradomiciliares testados. Além das equipes que participaram diretamente no acolhimento, todos os trabalhadores contactantes dos pacientes passarão a ser testados. 

O médico infectologista que coordenou a transferência dos amazonenses para o Estado, Mayke Armani, garante que a testagem é uma medida a mais para a vigilância adequada do processo. “Medidas como esta são reconhecidas internacionalmente como protocolo adequado e efetivo de rastreio. Além de manter o cuidado com os pacientes que nos dispomos a receber, de forma solidária como o SUS se apresenta, também queremos incrementar a biossegurança dos trabalhadores que estão na linha de frente do atendimento”, disse. 

De acordo com Armani, os resultados positivos detectados em um período inferior a 48h do contato com os pacientes do Amazonas, possivelmente se tratam de infecções anteriores à chegada dos pacientes ao Estado, com características de casos assintomáticos. “Por isso, vamos monitorar de forma sistemática esses trabalhadores com testagem de 48/96 horas, independentemente da apresentação de sintomas, para garantir isolamento oportuno. Tal medida se aplica a todos os trabalhadores que tiverem contato com estes pacientes”, afirmou o médico.

Rastreamento por testagem 

De sábado (23) a segunda-feira (25) cerca de 400 amostras foram coletadas nas equipes de primeiro contato e assistencial do Hospital Dr. Jayme. Os exames estão sendo processados pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Espírito Santo (Lacen-ES) e mais de 1.600 testagens serão realizadas durante o rastreamento. 

“O diagnóstico precoce e preciso realizado pelo Lacen permite, além da identificação de amostras positivas, o envio de material para sequenciamento e identificação de vírus circulantes na Fiocruz. Esse trabalho garante um monitoramento efetivo não só dos trabalhadores da saúde, mas de toda a população”, garantiu o coordenador do Lacen, Rodrigo Ribeiro Rodrigues.


Perfil dos pacientes internados 

As impressões iniciais, ainda não conclusivas, indicam que o perfil dos pacientes do Amazonas não difere consideravelmente dos já tratados no Hospital Dr. Jayme. A médica infectologista, coordenadora do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH) do Hospital Dr. Jayme, Daniela Feitosa, explica que a percepção, até o momento, é de que os pacientes não apresentam gravidade diferenciada. 

“Estamos analisando o quadro clínico destes pacientes em comparação com o atendimento habitual que prestamos no hospital. Ainda é cedo para analisarmos a evolução clínica, porque são poucos dias de internação, mas, até o momento, a percepção é de que a doença pouco difere”, explicou Daniela Feitosa. 

Dos 36 amazonenses internados, 17 estão em isolamento de UTI e 19 em isolamento de enfermaria. Destes, oito têm potencial para alta até o final desta semana. No entanto, mesmo com a melhora clínica, a transferência dos pacientes de volta para Manaus está condicionada ao critério de testagem de RT-PCR negativo.


Governo ES