Últimas

Desconto de R$2 por litro de gasolina abastecido em São Mateus e Linhares, nesta terça-feira; saiba mais

O cupom dará o desconto de R$ 2,00 por litro de gasolina abastecido, com limite de 20 litros por carro e de 10 por moto


Nas próximas terça (2) e quarta-feiras (3), o Sindicato dos Petroleiros do Espírito Santo (Sindipetro), junto com motoristas de aplicativos, realizará o Ato em Defesa do Combustível a Preço Justo, com distribuição de cupons de desconto para compra de gasolina. O primeiro ato será em São Mateus e o outro em Linhares, ambos no norte do Estado. O subsídio será custeado pelos petroleiros, para mostrar qual seria o preço justo "caso a Petrobras não fosse obrigada pelo governo federal a vender em dólar para beneficiar importadores".

Tanto em São Mateus quanto em Linhares, as ações terão início às 11h. Serão distribuídos 100 cupons de desconto em cada cidade para os primeiros 100 veículos que chegarem à ação​, incluindo carros e motos . Cada cupom dará o desconto de R$ 2,00 por litro de gasolina abastecido, com limite de 20 litros por carro e de 10 litros por moto.

Em São Mateus, o ato será no Posto Mar Negro, localizado no bairro Sernamby. Em Linhares, no Posto Ouro Negro, no bairro Shell. Os motoristas e motociclistas que receberem os cupons de desconto deverão abastecer até às 18h.


O sindicato tem feito várias ações de subsídio de combustível, inclusive do gás de cozinha. A última foi em primeiro de fevereiro, em Vitória. Além do subsídio do litro da gasolina nos mesmos moldes que farão em São Mateus e Linhares, foi realizada uma carreata que saiu do antigo aeroporto de Vitória.

Os petroleiros têm como parceiros nas ações a serem realizadas em São Mateus e Linhares os motoristas de aplicativo, que nas últimas semanas têm feito protestos no norte do Estado contra o aumento do preço do combustível. Nessa quarta-feira (24), em Linhares, eles fecharam a ponte Joaquim Calmon. Os trabalhadores reivindicavam reunião com o governador Renato Casagrande para solicitar que o governo do Estado zere o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), como forma de reduzir o preço do combustível.

As manifestações dos motoristas foram suspensas após conseguirem marcar reunião na próxima segunda-feira (1) com o deputado estadual Marcos Garcia (PV), que se comprometeu a criar uma ponte de diálogo entre os manifestantes e o governador. Os motoristas prometem manifestações maiores, caso esse diálogo não aconteça.

O Sindipetro afirma que zerar o ICMS ajuda, mas não é esse o fator principal. O diretor da entidade, Valnísio Hoffmann, ressalta que o sindicato apoia o movimento pelo preço justo, mas destaca que o ICMS não é o responsável exclusivo pela elevação dos preços, pois em 2016 o imposto era no valor atual e a gasolina custava R$ 2,69. O fator principal, diz Hoffmann, é a política de preços atrelada ao dólar.

Os petroleiros questionam também as vendas dos campos terrestres. No Espírito Santo, até agora, foram vendidos cerca de 30. A expectativa é de que, este ano, o número aumente. Entre as consequências disso estão a possibilidade de redução e precarização de postos de trabalho, além de desastres ambientais e perda de royalties, como afirma Valnísio.


Século Diário