Últimas

43 mulheres foram agredidas por dia, em média, nos primeiros meses deste ano no Estado


Mais de 2.500 mulheres foram vítimas de violência no Espírito Santo nos dois primeiros meses deste ano. O número representa uma média de 43 casos por dia. Esses são, apenas, os casos que foram registrados nas Delegacias de Atendimento à Mulher do Estado. Outras vítimas carregam as marcas da violência pelo corpo e na alma, mas sentem medo ou vergonha de pedir socorro.

A confeiteira Evelyn Mota da Silva, de 27 anos, passou por essa dor. Os sete anos de casamento foram marcados pelo ciúme possessivo e pelas agressões do, então, marido. Ela é mãe de uma criança autista, fruto do relacionamento que teve com o, agora, ex-companheiro

Hoje, ela vive escondida e convive com medo de um dia ser encontrada pelo agressor, que agora está preso.

Segundo a jovem, no começo da relação, o homem parecia ser outra pessoa, mas logo deu indícios de que o ciúmes passaria dos limites. "Os abusos começaram através do bloqueio das redes sociais e com o acesso dele ao meu celular. Muitas vezes, ele respondia mensagens, apagava e não me contava com quem e o que falou", lembrou.

A primeira agressão, de acordo com a vítima, ocorreu depois do primeiro ano de relacionamento. "Era um domingo, a gente estava em um clube perto do mar, em Vila Velha. Eu queria ir embora, porque no dia seguinte iria trabalhar. Ele não deixou. Pegou a minha bolsa, com todos os meus pertences, celular, documentos e a chave de casa, e atirou no mar. Eu fui atrás. Lá no clube, tem um penhasco, e ele chegou a me empurrar", contou.

Mesmo diante da violência, Evelyn perdoou o companheiro essa e outras vezes. Até que no dia 08 de março desse ano, Dia Internacional da Mulher, ela decidiu denuncia-lo. A mulher procurou uma advogada para pedir ajuda. Ela foi em uma delegacia e solicitou uma medida protetiva.

Segundo a vítima, mesmo com o apoio da Justiça, o então marido, ainda se aproximou e a agrediu por mais uma vez. "Ele me jogou contra o capô do carro, com a mão no meu pescoço, querendo me enforcar".

O homem foi preso em flagrante, levado para o Centro de Triagem de Viana e, de acordo com a Secretária Estadual de Justiça, atualmente, se encontra no Centro de Detenção de Vila Velha.

O caso de Evelyn mostra o quanto uma mulher agredida verbal e fisicamente precisa de ajuda. O jornalismo da TV Vitória/Record TV teve acesso aos dados de denúncias realizadas em janeiro e fevereiro deste ano. Em todo o Espírito Santo, foram 2.551 boletins registrados. Só na região metropolitana, foram 998 ocorrências.

As vítimas compartilham, além da dor e do sofrimento, um desejo: o de justiça. Superando os traumas, Evelyn aconselha que as mulheres não arrisquem e denunciem, ao perceberem que o companheiro dá sinais de ser uma pessoa violenta ou controladora. "Cada dia, o abusador deposita uma estratégia para te deixar dependente dele. Não mantenha uma relação assim1, declarou.

 TV Vitória/Record TV.