Últimas

Marcos Guerra diz que a pandemia é o maior desafio enfrentado pelo seu governo


Todos os municípios brasileiros enfrentam sérios problemas em função da pandemia consequência do coronavírus. Afeta não só as pessoas, mas também a economia, o que gera incertezas com o desemprego em massa levando a doenças como depressão e até ao suicídio num momento de desespero.

Nessa hora é que aparece a capacidade do governante que faz a diferença no trato com os desafios que se apresentam. No município de Jaguaré, região Norte capixaba, Marcos Guerra, tem feito essa diferença procurando implementar ações dentro do que é possível para trazer esperança e mostrar aos munícipes que tudo está sendo feito para que a situação não fuja ao controle da prefeitura e, principalmente do setor de saúde e da economia.

Para ele, a pandemia tem impedido de promover ações que afetam a população e, principalmente, aos comerciantes. “Tudo isso nos causa constrangimento, piora a relação do nosso governo e nos impede de executar o que planejamos em benefício dos nossos munícipes. Deixamos de desenvolver ações voltadas para o bem-estar das pessoas”. Ele destaca ações coletivas no esporte, que é muito forte em Jaguaré, e muitas das atividades foram suspensas. Na educação “a pandemia obrigou a municipalidade a tomar providências que, infelizmente, trazem mudanças na rotina dos alunos e de suas famílias”, lamenta o prefeito.

Outro setor muito afetado e que traz muitas preocupações é a saúde

“Nossos profissionais estão estressados, a demanda aumentou muito e como consequência a buscar por profissionais, mas não existem muitas ofertas no mercado”, diz Marcos Guerra.

“Perdemos vidas e isso nos afeta profundamente, pois um prefeito conhece muitas pessoas e famílias, existe uma relação de amizade com os cidadãos e a perda dessas vidas nos entristece de maneira impactante”, completa o prefeito contendo a emoção. Ele enfatiza que isso afeta também a produtividade das pessoas, das famílias no trabalho.

De acordo com o prefeito de Jaguaré, Marcos Guerra, a pandemia, nesse início de governo, é mesmo o maior desafio enfrentado pela sua administração. Isso reflete em todas as áreas, na área social também porque aumenta a procura por cesta básica, por ajuda, por transportes, por passagens. “As pessoas deixam de trabalhar, ficam doentes, são afetadas emocionalmente, mentalmente e não temos dúvidas de que a pandemia é o nosso maior desafio, não só em Jaguaré, mas em todos os municípios”, explica o Chefe do Executivo jaguarense.

Aumento das despesas

O prefeito afirma ainda que o impacto da pandemia na economia implica em aumento da despesa. O atendimento as demandas são muito maiores. “No futuro haverá, como consequência de todo esse cenário, a perda de receita com os comércios fechados, a falta de produção e consumo e isso vai afetar na arrecadação de ICMS, sem contar os gastos das pessoas com a saúde”, enumera o prefeito contabilizando os prejuízos no momento seguinte a toda essa problemática causada pela pandemia.

A colheita do café

O município de Jaguaré se separou de São Mateus em 1981. Hoje é um dos mais próspero da região Norte do Estado do Espírito Santo. Jaguaré tem como principal atividade produtiva econômica a cafeicultura, onde se destaca o cultivo do café Conilon, com uma área estimada de 21 mil hectares, com uma produtividade média de 600 mil sacas de café, o que gera uma receita bruta anual em torno de R$ 117 milhões, com cerca de 10 mil empregos diretos e indiretos e é considerada a Capital Nacional do Café Conilon.

Além do café, outra fonte de recursos é a prospecção de óleo, sendo o maior campo de petróleo descoberto, em 2001, do Espírito Santo, sendo responsável por mais de 50% de toda a produção ativa do norte capixaba.

Diante de todo esse cenário produtivo, a pandemia preocupa o gestor do município, mas Marcos Guerra, um prefeito atuante e conhecedor das demandas da população, acredita que não vai afetar muito a colheita da sua principal atividade econômica, que é a do Café Conilon.

Até uma cartilha foi elaborada pela Prefeitura em parceria com o Sindicato Patronal e Sindicato dos Trabalhadores Rurais para orientar os produtores e trabalhadores com as medidas e precauções a serem tomadas diante da pandemia, consagrando a importância dos cuidados como o distanciamento, uso de máscaras e álcool em gel (70), cuidado com os alojamentos, assepsia dos equipamentos tudo para que possa dar condições aos que trabalham na colheita para estarem prevenidos do contágio do coronavírus.

Com relação à segurança pública ele destaca a boa convivência da Prefeitura com a Polícia Militar e a Polícia Civil, lembrando que a segurança é de competência do Estado promovendo ações no combate à marginalidade. Um fator que temos que levar em consideração é que com o tempo muitos profissionais das polícias vão se aposentando e o governo não consegue repor essas vagas abertas. Diminui o número de policiais e aumenta a população, é uma questão inversamente proporcional. “Da nossa parte temos dado apoio que podemos dar naquilo que é legal, até porque a responsabilidade cabe ao Governo estadual”.

Mas nem tudo está perdido. O município, com ações do prefeito e da sua administração vem demonstrando equilíbrio e determinação no enfrentamento aos problemas e conta com o bom relacionamento com a Câmara de Vereadores, “que tem sido parceira, votando e aprovando projetos importantes para Jaguaré e a população”, afirma o prefeito Marcos Guerra. 

“Os poderes são independentes e harmônicos, queremos que o legislativo trabalhe, cumpra suas funções de fiscalizar e legislar; temos uma relação muito boa com os vereadores”.

Com relação ao Governo do Estado, o prefeito Marcos Guerra enaltece o bom convívio e a ajuda que o governador tem dado as cidades do interior e, nesse contexto, ao município de Jaguaré. “Tenho dito que o governador é o segundo prefeito das cidades do interior, ajuda muito os municípios”, disse Guerra, lembrando que foi o primeiro prefeito a ter uma “agenda presencial” com o governador para levar as demandas de Jaguaré.

Nessa audiência com o governador Casagrande, ficou acertado a construção da sede da Polícia Militar, construção da rodovia que vem de Vila Valério até Fátima, além de outras demandas que foram atendidas.

“É um grande parceiro e essa parceria é importante e dando frutos”.

Mas nem tudo está perdido. O município, com ações do prefeito e da sua administração vem demonstrando equilíbrio e determinação no enfrentamento aos problemas e conta com o bom relacionamento com a Câmara de Vereadores, “que tem sido parceira, votando e aprovando projetos importantes para Jaguaré e a população”, afirma o prefeito Marcos Guerra. “Os poderes são independentes e harmônicos, queremos que o legislativo trabalhe, cumpra suas funções de fiscalizar e legislar; temos uma relação muito boa com os vereadores. Somado a isso a boa parceria com o governo estadual”.

“Apesar de todos os problemas causados por essa terrível doença, há esperança por dias melhores. Estamos acompanhando com os profissionais da saúde toda essa situação, contando com a vacinação da população e continuando com os cuidados necessários cumprindo os protocolos no combate e prevenção dessa doença”, disse o prefeito. Ele fez questão de destacar também, que com a transição da administração anterior para a sua administração que teve início em janeiro, tudo foi dado com tranquilidade, sem turbulências, os secretários que foram nomeados vêm cumprindo com competência suas obrigações e que a administração não parou com essa pandemia. As atividades, mesmo com certas limitações impostas pela doença, têm sido feitas pela municipalidade. Lembrou que Jaguaré, tempos atrás vivia uma instabilidade política muito grande e que hoje o ambiente político é tranquilo, “os poderes e membros desses poderes mantem uma relação respeitosa e estamos todos unidos em prol do desenvolvimento de Jaguaré”, finalizou o prefeito Marcos Guerra.


Fonte: Jornal do Norte