Últimas

'Sementes misteriosas' vindas da China, lembra delas? Estudos apontam os riscos


As análises foram feitas pelo Laboratório Federal de Defesa Agropecuária em Goiás, que é referência no país.

Pacotes foram enviados de países asiáticos, principalmente, da China

Estudos do Ministério da Agricultura apontaram a presença de microrganismos nos pacotes com as sementes misteriosas vindas da China e de outros países da Ásia. Segundo as análises, foram identificados fungos, bactérias e possibilidade de pragas quarentenárias – que não existem no Brasil. 

Vídeo: Reportagem do Fala Brasil/Band TV

Outra análise, de laboratório do Paraná, de sementes recebidas pelo correio no Estado, recebidas em pacotes com origem principalmente asiática, mostrou que 47% delas continha plantas invasoras, de acordo com a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar).

No ano passado, o Brasil recebeu misteriosamente várias remessas de sementes desconhecidas, sem terem sido pedidas pelos destinatários. A situação chamou a atenção das autoridades sanitárias, pois a inclusão de novas espécies pode ter impacto importante na flora local e até mesmo na agricultura. 

Assim, um laboratório federal de Goiás, indicado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), analisou 92 amostras de três países orientais. Os resultados apontaram que, cerca de 47% eram plantas invasoras, bactérias, ácaros, não presentes no Brasil, e que poderiam apresentar impacto para a agricultura.

Análises preliminares já haviam identificado tipos de fungos nas amostras. As sementes foram inativadas. 


‘Brushing’, a fraude que pode explicar origem das sementes misteriosa

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos acredita que as encomendas indesejadas estejam relacionadas a uma fraude conhecida como “brushing”.

O “brushing” é uma estratégia para burlar o ranqueamento em sites de e-commerce, como Amazon, E-bay, Aliexpress, entre outros. 


Como funciona a fraude

A fraude funciona assim: Um vendedor golpista pega seus dados na internet e cria uma conta falsa na Amazon ou no AliExpress no nome da vítima. Em seguida, ele efetua a compra de um determinado produto na própria loja virtual e despacha a “mercadoria”, que no caso é um pacote com sementes”.

Quando a mercadoria chega na casa do “cliente fantasma”, o vendedor deixa um comentário positivo e ainda ganha o selo de “comprador verificado”. o que dá mais credibilidade;

Quanto mais avaliações positivas do vendedor nesses sites de marketplaces, maiores são as chances de sua loja virtual figurar entre no topo das buscas.

Especialistas orientam a população, caso receba um pacote desse tipo, a recomendação é não abri-lo, nunca plantar e, levar o item a conhecimento das autoridades da área. 

Com Informações do G1 PR / UOL