Últimas

Tripulantes de navio encalhado podem ser presos: 'Bodes expiatórios'

Com o Canal de Suez aberto novamente, após seis dias de bloqueio provocado pelo supernavio Ever Given, a tripulação está enfrentando uma minuciosa investigação sobre como a embarcação, de 400 metros e 220 mil toneladas, ficou encalhada.

O navio da Evergreen foi liberado das margens do canal na segunda-feira (29/3), após atrasos estressantes para tripulações de outros navios e prejuízos enormes para empresas. O episódio causou grande expectativa internacional, especialmente nas redes sociais.

As investigações tentam determinar a responsabilidade pelo acidente. Pessoas dentro do governo indiano e outras organizações de transporte estão preocupadas que os tripulantes do Ever Given possam se tornar "bodes expiatórios", sendo presos para "resolver" o caso.

Vista aérea do canal do Suez, onde o navio Ever Given ficou encalhado Foto: DigitalGlobe/ScapeWare3d / DigitalGlobe/Getty Images

"Há um perigo claro de que a tripulação se torne um bode expiatório", disse uma fonte da indústria naval disse ao "Times of India".

Com especialistas da Autoridade do Canal de Suez (SCA) embarcando no Ever Given no início desta semana para começar a investigação, teme-se que a tripulação indiana de 25 homens possa ser colocada em prisão domiciliar ou impedida de viajar até que a investigação seja concluída.

O Canal de Suez, que liga o Mar Vermelho e o Mediterrâneo, é responsável pela passagem de 12% do comércio mundial, respondendo por cerca de um milhão de barris de petróleo e 8% do gás natural liquefeito.A Lloyd’s List Intelligence disse que o Ever Given estava custando à economia global US$ 400 milhões para cada hora que ficava encalhado, com o tráfego diário para o oeste avaliado em US$ 5,1 bilhões e o tráfego para o leste avaliado em US$ 4,5 bilhões.


G1