Últimas

Ministro Ricardo Salles pede pra sair



O presidente Jair Bolsonaro exonerou o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. A exoneração foi publicada nesta quarta-feira (23) em edição extra do "Diário Oficial da União" e informa que a exoneração foi a pedido de Salles.

No mesmo decreto, Bolsonaro nomeou Joaquim Alvaro Pereira Leite como novo ministro do Meio Ambiente. Até então, Leite ocupava o cargo de secretário da Amazônia e Serviços Ambientais do ministério.

Antes de integrar o governo, o novo ministro do Meio Ambiente foi conselheiro da Sociedade Rural Brasileira (SRB), uma das organizações que representam o setor agropecuário no país.

A gestão de Ricardo Salles no Ministério do Meio Ambiente foi marcada por uma série de polêmicas.

Uma dessas polêmicas, por exemplo, envolve a reunião ministerial de 22 de abril de 2020, no Palácio do Planalto.

Na reunião, Ricardo Salles sugeriu a Bolsonaro que o governo aproveitasse que a atenção da imprensa estava voltada para a pandemia da Covid-19 para "ir passando a boiada" na área ambiental, alterando regras.

Além disso, Ricardo Salles é alvo de inquérito, autorizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a pedido da Procuradoria Geral da República (PGR), por supostamente ter atrapalhado investigações sobre a maior apreensão de madeira da história.

A suspeita foi apresentada pela Polícia Federal. Ao Supremo, a PF disse haver "fortes indícios" de que Ricardo Salles participa de um esquema de contrabando ilegal. Salles nega ter cometido irregularidades.

Pronunciamento

Em manifestação no Palácio do Planalto após o pedido de demissão, Salles relacionou medidas que adotou à frente da pasta e reclamou das críticas.

"Experimentei ao longo destes dois anos e meio muitas contestações, tentativas de dar a essas medidas caráter de desrespeito à legislação, o que não é verdade", declarou.

Segundo ele, a sociedade espera "respeito" ao setor produtivo e à iniciativa privada. Salles destacou a necessidade de o Brasil ampliar as obras de infraestrutura e "continuar sendo o grande líder do agronegócio".

O ex-ministro defendeu uma transição "serena". "Para que se faça da maneira mais serena possível, apresentei meu pedido de exoneração", disse.

Cobrança internacional

Desde que Bolsonaro assumiu o governo e nomeou Salles no cargo de ministro do STF, o Brasil tem sido cobrado internacionalmente a adotar medidas de proteção do meio ambiente.

A cobrança já partiu de países como Estados Unidos, Alemanha e Noruega.

Ainda no período eleitoral, Bolsonaro dizia que não nomearia no cargo de ministro do Meio Ambiente algum "xiita ambiental".

Também na campanha, Bolsonaro disse que se eleito iria tirar o Brasil do Acordo de Paris, mas, depois, afirmou que não iria retirar.

Troca de ministros no governo Bolsonaro

Veja todas as trocas de ministros no governo Bolsonaro:
  • Secretaria-Geral da Presidência: Gustavo Bebianno foi substituído por Floriano Peixoto Vieira Neto;
  • Educação: Ricardo Vélez Rodríguez foi substituído por Abraham Weintraub;
  • Secretaria de Governo: Carlos Alberto dos Santos Cruz foi substituído por Luiz Eduardo Ramos;
  • Secretaria-Geral da Presidência: Floriano Peixoto Vieira Neto foi substituído por Jorge Antonio Oliveira;
  • Desenvolvimento Regional: Gustavo Canuto foi substituído por Rogério Marinho;
  • Casa Civil: Onyx Lorenzoni foi substituído por Walter Braga Netto;
  • Cidadania: Osmar Terra foi substituído por Onyx Lorenzoni;
  • Saúde: Luiz Henrique Mandetta foi substituído por Nelson Teich;
  • Justiça e Segurança Pública: Sergio Moro foi substituído por André Luiz Mendonça;
  • Advocacia-Geral da União: André Luiz Mendonça foi substituído por José Levi Mello do Amaral Junior;
  • Ministério da Saúde: Nelson Teich pediu demissão. Eduardo Pazuello assumiu como interino;
  • Comunicações: recriação da pasta, desmembrada do MCTIC. Fabio Faria assumiu;
  • Educação: Abraham Weintraub saiu. Dias depois foi nomeado Carlos Alberto Decotelli;
  • Educação: Decotelli pediu demissão. Entrou Milton Ribeiro;
  • Turismo: Marcelo Álvaro Antônio demitido. Gilson Machado assumiu a pasta;
  • Secretaria-Geral: Jorge Oliveira exonerado para assumir vaga no TCU. Saída oficializada em 31/12/2020. Onyx Lorenzoni assume a Secretaria-Geral;
  • Cidadania: Onyx Lorenzoni assume a Secretaria-Geral e João Roma é anunciado ministro da Cidadania. Mudança anunciada em 12/02/2021;
  • Banco Central: Bolsonaro sanciona autonomia do BC, e Campos Neto perde status de ministro;
  • Saúde: Eduardo Pazuello deixa a pasta, e médico Marcelo Queiroga assume;
  • Relações Exteriores: Ernesto Araújo pediu demissão em 29/03/2021. Embaixador Carlos França assume o ministério;
  • Defesa: General Fernando Azevedo e Silva deixa o cargo. Braga Netto assume;
  • Casa Civil: Braga Netto deixa o cargo. General Luiz Eduardo Ramos assume a pasta;
  • Secretaria de Governo: Luiz Eduardo Ramos deixa o cargo. Deputada Flávia Arruda assume a pasta;
  • Justiça: André Luiz Mendonça volta para AGU. Delegado Anderson Torres assume a pasta;
  • AGU: José Levi deixa o cargo. André Luiz Mendonça retorna para AGU;
  • Meio Ambiente: Salles deixa a pasta. Joaquim Alvaro Pereira Leite Assume.

G1