PESAR | Morre em Colatina advogado que pode ter sido mais uma vítima do falso óleo de abóbora


Um advogado de 65 anos, que estava internado em Colatina, pode ser mais uma vítima do óleo de semente de abóbora, vendido na internet, que matou um casal na Serra, Grande Vitória, em fevereiro e março deste ano. Manoel Pevidor Dias, natural de Aimorés, Minas Gerais, estava internado no município de Colatina desde o mês de maio e morreu na noite desta sexta-feira(13).

Segundo a esposa do advogado, as equipes médicas fizeram vários exames mas não descobriram o motivo dos problemas de saúde dele. Manoel Dias esteve internado em abril, teve alta, mas voltou para o hospital no mês seguinte com problemas cardíacos.

A suspeita de que o quadro de saúde do advogado poderia ter relação com o óleo de semente de abóbora surgiu após a Polícia Civil encontrar o nome dele na lista de compradores do mesmo fornecedor que vendeu o produto contaminado para o casal capixaba.

No caso da morte do casal, o inquérito concluiu que a mercadoria continha a substância dietilenoglicol, que é tóxica, a mesma que contaminou lotes da Cervejaria Backer, em Minas Gerais, e matou pelo menos dez pessoas em 2019. O responsável pela fabricação do produto vendido ao casal foi preso em flagrante em maio deste ano em São Bernardo do Campo, São Paulo.

De acordo com a família, o advogado comprou o produto pela internet em busca de qualidade de vida e regulação do colesterol. O resultado do laudo pericial, para saber se o produto tinha alguma substância tóxica, no entanto, ainda não ficou pronto.

Manoel era filho do ex-prefeito Acindino Dias (1976/81) e teve intensa participação na vida social, política e econômica de Aimorés: foi presidente da Associação Comercial (Aciasa), administrou por mais de 20 anos a padaria União Portuguesa (que completou 100 anos e há décadas pertence à família) e chegou a disputar o cargo de prefeito. Nos últimos anos, dedicou-se à advocacia.

ES Fala




Postagem Anterior Próxima Postagem