Justiça pede quebra de sigilo de ex-mulher de Bolsonaro


Mais sete parentes de Ana Cristina que constaram como assessores de Carlos Bolsonaro, estão na investigação


A 1ª Vara Especializada de Combate ao Crime do TJ-RJ (Tribunal de Justiça) pediu a quebra de sigilos bancário e fiscal de Ana Cristina Siqueira Valle, segunda mulher do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e mais 25 pessoas. A informação é da colunista Juliana Dal Piva, pelo UOL.

Segundo a coluna, mais sete parentes de Ana Cristina que constaram como assessores de Carlos Bolsonaro, estão na investigação. A lista inclui o publicitário André Valle e a fisiculturista Andrea Valle, ambos irmãos da ex-mulher do presidente. Gilmar Marques, que foi companheiro de Andrea e é pai da filha dela. Ainda, a professora Marta Valle, cunhada de Ana Cristina.

Ana Cristina é mãe do filho mais novo do presidente, Jair Renan Bolsonaro . O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos) também teve os sigilos bancário e fiscal quebrados na investigação sobre contratação de funcionários "fantasmas" em seu gabinete. O MP também aponta a possibilidade da existência de um esquema de "rachadinha" no gabinete.

Carlos Bolsonaro se manifestou, na manhã desta quarta-feira, sobre a decisão da Justiça e afirmou que "na falta de fatos novos, requentam os velhos" que, segundo ele, "não chegaram a lugar nenhum".

Além do grupo, outras sete empresas também tiveram os sigilos quebrados no caso. A defesa de Ana Cristina Valle lamentou o vazamento dos dados e disse que se manifestará nos autos.

A ex de Jair Bolsonaro trabalha hoje como assessora da deputada federal Celina Leão (PP-DF) e mudou semana passada para uma mansão de R$ 3,2 milhões em Brasília.

Fonte: IG




Postagem Anterior Próxima Postagem