Compras na Americanas são seguras? Procon do ES orienta consumidores


Depois da descoberta de um rombo contábil milionário, a Americanas entrou no centro das atenções (e das preocupações) de clientes que se perguntam se ainda é seguro fazer compras, principalmente em seu site. Há nas redes sociais reclamações relacionadas a atrasos e há dúvidas se irão receber as compras no prazo.

Nesta quinta-feira (19), a empresa formalizou um pedido de recuperação judicial mencionado dívidas no valor de R$ 43 bilhões de um total de cerca de 16.300 credores.

O Procon do Espírito Santo informa aos clientes que a empresa, mesmo nesta fase, deve arcar com suas responsabilidades. O diretor-presidente do Procon-ES, Rogério Athayde, explicou que o processo de recuperação judicial não interfere no atendimento ao consumidor que continua tendo os seus direitos preservados.

“A empresa deverá adotar medidas a fim de preservar os direitos dos consumidores durante esse processo de recuperação judicial, mantendo o cumprimento de prazos, das vendas e o efetivo atendimento ao consumidor”, acrescentou Athayde.

Assim, a empresa precisa cumprir suas obrigações como varejista: entregar os itens no prazo definido, em boas condições e de acordo com o que foi anunciado.

No caso das Americanas, as recomendações do Procon são as mesmas para quem faz compras na internet. O consumidor deve guardar todos os dados da compra, como nome do site, itens adquiridos, valor pago e forma de pagamento, número de protocolo da compra ou do pedido.

Também deve guardar por meio eletrônico ou mesmo impresso, a confirmação do pedido, e-mails trocados com o fornecedor que comprove a compra e suas condições.

Ainda assim, é preciso se precaver, tomando os cuidados de sempre: verificar o prazo de entrega e registrar a compra com capturas de tela. Essa situação muda se a companhia começar a descumprir com o combinado, como atrasos ou deixar de comunicar com clientes.

No caso de desistência, segundo o Código de Defesa do Consumidor (CDC), o cliente tem até sete dias para desistir da compra a partir da data da aquisição do produto.

O artigo 49 do CDC detalha que o consumidor pode desistir de uma compra feita no site da empresa ou por telefone. Não vale se a aquisição foi feita em uma loja física.

Em caso de problemas, Athayde indica que o consumidor poderá registrar uma reclamação pelo atendimento eletrônico, disponível no site procon.es.gov.br ou pessoalmente, na sede, mediante agendamento pelo site agenda.es.gov.br.

Americanas diz que rede de lojas e vendas no site continuam

Procurada, a Americanas garantiu que, mesmo em recuperação judicial, as operações nas lojas físicas e no site de vendas irão continuar. Confira a nota na íntegra:

A Americanas S.A. informa que deu entrada hoje em seu pedido de Recuperação Judicial na 4ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro. Dado o pedido de Recuperação Judicial da empresa, a Administração da Americanas vem a público informar que seguirá operando normalmente dentro das novas regras da recuperação judicial, cujo um dos objetivos principais é a própria manutenção de empregos, pagamento de impostos e a boa relação com seus fornecedores e credores e investidores de forma geral.

Para tanto, o grupo de acionistas de referência da empresa informou ao Presidente do Conselho de Administração que pretende manter a liquidez da companhia em patamares que permitam o bom funcionamento da operação de todas as lojas, do seu canal digital, Americanas.com, da AME e suas coligadas.

Através deste comunicado, pedimos o engajamento de todos os colaboradores nesta nova fase e principalmente dos fornecedores com quem temos relações históricas. A história da Americanas segue com determinação rumo a uma nova fase, com o compromisso com a sociedade e disposta a construir soluções que possam vir atender aos credores da empresa.


Fonte: Folha Vitória



Postagem Anterior Próxima Postagem