Esteticista que perdeu parte do nariz após cirurgia estética com dentista diz evitar sair de casa

Antes e depois da cirurgia no nariz de Elielma Carvalho com o dentista Igor Leonardo — Foto: Elielma Carvalho/Arquivo Pessoal/Reprodução/Instagram

A esteticista Elielma Carvalho, que perdeu parte do nariz após fazer uma cirurgia estética com um dentista, dique que abandonou todas as atividades que envolvam sair de casa por vergonha de como seu rosto ficou. Ela deixou de trabalhar, recusa convites para sair e abandonou a academia.

“Minha vida parou. Eu fico só de máscara porque tenho vergonha, as pessoas ficam olhando. Se eu saio de casa para comer, eu como dentro do carro. Não participo de mais nada”, afirmou.

O dentista Igor Leonardo Soares Nascimento, que fez o procedimento de alectomia, que afina o nariz, foi indiciado por lesão corporal gravíssima e exercício ilegal da medicina, já essa cirurgia pode ser feita apenas por médicos.

Desde o início da divulgação do caso, ele afirma que o problema não foi decorrente do procedimento, e sim de complicações relacionadas à saúde da paciente, o que causou a necrose (veja nota na íntegra no fim do texto).

Elielma é esteticista, mas conta que abandonou a profissão. Além da vergonha, ficou com trauma de fazer algo em algum paciente que possa gerar o sofrimento que ela tem atualmente.

Antes e depois de cirurgia no nariz de Elielma Carvalho Braga — Foto: Elielma Carvalho/Arquivo Pessoal

Mesmo após 13 cirurgias, Elielma conta que ainda sofre com as sequelas. Ela precisa usar dilatadores nas narinas para conseguir respirar. Além disso, ficou com uma cicatriz que cobre parte do rosto.

“Eu ainda preciso fazer outras cirurgias, mas não sei quando isso será possível. E dá medo ter que passar por mais cirurgia”, completou.

A esteticista também está processando o dentista. Na ação, ela pede danos morais, materiais e estéticos, totalizando R$ 42 mil. Ainda não há uma sentença sobre o caso.

Procedimento

Elielma fez o procedimento em junho de 2020, após ver anúncios do dentista na internet falando que fazia a alectomia, em Aparecida de Goiânia. Inicialmente, acreditou que o procedimento tinha dado certo. Porém, nos dias seguintes, ela começou a sentir fortes dores e alterações no rosto.

“Meu rosto começou a queimar. No outro dia ficou cheio de bolha, como se fosse queimadura”, contou.

Em julho de 2022, Elielma decidiu denunciar o caso publicamente. A Polícia Civil passou a investigar o dentista, que já tinha outro registro de ocorrência, também por exercício ilegal da medicina, em 2021.

O Conselho Regional de Odontologia disse que não pode fornecer informações sobre os processos envolvendo dentistas.

Já o Conselho Regional de Medicina disse a situação reforça a necessidade do combate do exercício ilegal da profissão e que no site do Cremego a população pode consultar os dados do profissional e se certificar de que ele é realmente médico e especialista em determinada área.

Entenda como é feita a alectomia, cirurgia de redução das asas nasais — Foto: Daniel Ivanaskas/G1

Alectomia

A alectomia é feita para reduzir as asas nasais. A técnica é, teoricamente, simples: com uma anestesia local, o profissional corta um pedaço dessas estruturas que circundam as narinas e fecha com pontos.

Uma retirada em excesso da chamada asa nasal pode causar uma fragilidade na estrutura do nariz, de forma que o espaço para entrada de ar se feche durante a respiração. Com isso, além da parte estética, a parte funcional pode ser afetada.

O Conselho Regional de Odontologia informou que “os cirurgiões-dentistas têm autorização para a realização de procedimentos estético-faciais, desde que não sejam cirúrgicos puramente estéticos” e que a alectomia nunca esteve entre os procedimentos listados como permitidos para cirurgiões-dentistas.

Já uma resolução de agosto de 2020 proibiu expressamente a realização de alectomia por dentistas.

Nota do dentista Igor Leonardo

Sou cirurgião dentista há 20 anos com diversas especialidades dentro da odontologia. Exerço harmonização oro facial desde o ano de 2014 e sou um dos pioneiros do estado de Goiás nessa área.

Sempre tratei meus pacientes com muito amor, cuidado, dedicação e contribuindo expressivamente com a melhora da autoestima de todos.

Na época do tratamento da paciente Elielma Carvalho, o procedimento foi realizado com sucesso, inclusive, ela saiu da clínica muito feliz com o resultado alcançado.

O problema, foram as complicações no pós-operatório que, por motivos individuais relacionados à sua saúde, evoluíram para uma necrose local.

Fonte: G1


Postagem Anterior Próxima Postagem