‘Gastou tudo em apostas’, diz delegada sobre estudante de Medicina da USP investigada por desviar dinheiro de formatura


Alicia Dudy Muller está sendo investigada por ter desviado aproximadamente R$ 927 mil do fundo de formatura da turma. A aluna era a presidente da comissão.


O Fantástico deste domingo (22) contou quem é a estudante Alicia Dudy Muller, de 25 anos, suspeita de desviar quase R$ 1 milhão da poupança feita para custear a festa de formatura dos alunos de Medicina da USP.

Na mensagem em que se explica aos colegas, Alicia disse que "repassou todo o dinheiro para uma investidora que deu um grande golpe e que nunca mais retornou com o dinheiro investido". Mas nada disso aconteceu.

Alicia fez as apostas em uma lotérica, na Zona Sul de São Paulo. A primeira foi em abril de 2022. Ela jogou R$ 9,6 mil na Lotofácil. E, segundo disse à polícia, ganhou R$ 8 mil. Depois disso, Alicia começou a apostar todos os dias.

“E depois foi pedindo mais ainda resgate do valor que estava com a empresa", diz a delegada Zuleica Gonzalez Araújo.

Em junho do ano passado, Alicia decidiu apostar R$ 891 mil. A gerente estranhou o valor e pediu o comprovante da transferência desse dinheiro por PIX. Nessa hora, segundo o depoimento do dono da lotérica, Alicia teria mostrado um comprovante de R$ 891, na tentativa de enganar a lotérica.

Houve uma discussão e a estudante de medicina deixou o local. Mas a atendente já tinha lançado no sistema apostas no valor de R$ 190 mil.

O dono da lotérica não quis gravar entrevista. Na mensagem em que admitiu os saques, Alicia disse que pegou cerca de R$ 800 mil do fundo e que usou o restante para pagar advogado e tentar recuperar o dinheiro. Mais uma mentira, segundo a delegada.

“Gastou tudo em apostas. Primeiro, perdendo por má aplicação, segundo as informações que ela deu. E depois com bens pessoais, com uma vida incompatível com os ganhos dela”, diz a delegada.

Segundo a polícia, Alicia tem uma renda mensal de cerca de R$ 5 mil por mês. E que, só de aluguel, num apartamento, ela gastava R$ 3,6 mil por mês. A estudante de medicina admitiu aos investigadores que também usou o dinheiro dos colegas para pagar pelo aluguel a longo prazo de um carro, de um celular e comprar diversos equipamentos eletrônicos de alto valor.

Fonte: Fantástico/G1



Postagem Anterior Próxima Postagem