Menina de 5 anos morre ao levar soco do pai por fazer xixi no chão

 Adrian Juliano Martins Herculano, de 21 anos

Uma criança de cinco anos foi morta pelo próprio pai após urinar no chão, em Monte Santo de Minas, região sudoeste de Minas Gerais. Adrian Juliano Martins Herculano, de 21 anos, confessou à polícia que deu um soco na filha, Mirelly, para "corrigi-la" após urinar pela terceira vez no chão, mas a menina morreu e ele ocultou o cadáver, que foi achado parcialmente queimado. Ele e a atual namorada foram presos pela morte da criança.

Na terça-feira (17), Adrian foi à Delegacia de Polícia Civil de Monte Santo de Minas, acompanhado da defesa, para relatar que brigou com a atual companheira, saiu da casa dela e voltou para a sua residência acompanhado da criança no dia 12. Ele alegou estar nervoso pela briga e disse que viu a filha urinar no chão por duas vezes e na terceira ação decidiu "corrigi-la", dando um soco na menina, que caiu no chão e bateu a cabeça.

Segundo a Polícia Civil, o pai da criança disse ter achado que ela havia desmaiado, mas se desesperou ao notar que a menina não tinha mais os sinais vitais. Neste momento, ele decidiu enrolar o corpo da filha em um cobertor e ocultou o cadáver próximo a um riacho na zona rural da cidade, local de mata e de difícil acesso.

À corporação, ele indicou a localização exata onde o corpo da menina estava. O cadáver foi achado na terça-feira (17) parcialmente queimado, em avançado estado de decomposição, embaixo de alguns galhos e folhas, "utilizados para escondê-lo", diz a polícia. No depoimento, o pai não citou que queimou o corpo da menina.

A perícia foi acionada e o corpo da criança foi encaminhado ao PPI (Posto de Perícias Integradas) na cidade de Passos.

Prisão do pai e namorada

Adrian, que tem antecedentes criminais por tráfico de drogas, e a namorada dele, de 24 anos, foram presos preventivamente após emissão dos mandados de prisão temporária. As prisões foram cumpridas contra o homem no início da noite de terça-feira (17) e contra a companheira dele na tarde de quarta-feira (18).

A Polícia Civil apontou haver "indícios de participação da namorada do investigado nos fatos" e, por isso, a prisão dela foi solicitada pela corporação.

"O casal encontra-se no sistema prisional, à disposição da Justiça. O trabalho investigativo prossegue para a completa elucidação dos fatos."

Pai já foi preso

A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais confirmou que Adrian tem três registros de entrada no sistema prisional, mas não citou se os anteriores à morte da filha são por tráfico de drogas.1ª - 26/04/2020 a 08/06/2021 - Liberado após decisão da Justiça;

2ª - 27/09/2021 a 22/03/2022 - Liberado após decisão da Justiça;

3ª - Deu entrada dia 18/01/2023 no Presídio de São Sebastião do Paraíso, onde encontra-se atualmente.

A reportagem consultou o nome da defesa de Adrian no TJ-MG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais) e tentou contato com o representante descrito na ação através do contato disponível no Cadastro Nacional dos Advogados, mas não obteve resposta. O espaço segue aberto para manifestação.

Fonte: Uol



Postagem Anterior Próxima Postagem