Últimas

Espírito Santo registra 130 falsos profissionais de educação física durante fiscalização



De janeiro a dezembro de 2019, o Conselho Regional de Educação Física (CREF1) flagrou 130 falsos profissionais atuando no Espírito Santo, um aumento de 14% comparado ao mesmo período do ano anterior. Do total de ocorrências, 76% eram estudantes (99 casos). Além desses, também foram constatadas 321 irregularidades nos estabelecimentos do estado e 132 incursões foram realizadas a pedido do Ministério Público do estado.
Durante as fiscalizações, foram detectadas a atuação ilegal da Educação Física em 22 modalidades, com destaque para a Musculação, que figura entre a mais recorrente com 75 casos, seguido pela Ginástica com sete e Circuito com oito.
No ranking dos municípios com maior incidência de exercício ilegal, Serra se mantém em primeiro lugar com um crescimento expressivo de flagrantes: de 22 em 2018 para 40 em 2019. Segmentado por modalidade, a Musculação apresentou 27 casos, seguido por Ginástica com três e Personal com dois.
No segundo lugar está Vitória com 21 casos, cidade que também apresentou um aumento no total de flagrantes já que no ano anterior o número de casos era de apenas quatro. No ranking das modalidades mais flagradas no município, a Musculação ficou em primeiro (seis), Circuito em segundo (três) e empatadas em terceiro estão Beach Tennis e Cross Training (dois). Em terceiro ficou Linhares, com 14 casos, seis dos quais em Musculação, seguidos por Personal Trainer, com três, e Treinamento Funcional com dois. Dentre os municípios que apresentaram apenas uma ocorrência de exercício ilegal estão: Iconha, Fundão, Alegre, Ibatiba e Dores do Rio Preto.
Além dos supracitados, o CREF1 também fiscalizou os municípios de Guarapari, Vila Velha, Cariacica, Presidente Kennedy, Vargem Alta, Mimoso do Sul, Atílio Vivacqua, Bom Jesus do Norte, Viana, Cachoeiro de Itapemirim, São Mateus, Viana e Colatina.
Além dos casos de exercício ilegal, também foram encontradas irregularidades nos estabelecimentos do estado. Entre elas, 136 ausências de Responsável Técnico nomeado no CREF1, 110 estabelecimentos não possuíam registro de Pessoa Jurídica junto ao Conselho, 45 salas desprovidas de profissional de Educação Física e 30 profissionais atuando fora da área de habilitação.
Todos os casos de exercício ilegal foram encaminhados ao Ministério Público e os estabelecimentos irregulares estão com processos em andamento no Departamento Jurídico do Conselho.

 Com informações da assessoria do  Conselho Regional de Educação Física (CREF1).





Nenhum comentário