Últimas

PSL pode fazer parte da base de Casagrande e mudar eixo da direita



O deputado estadual Coronel Quintino (PSL) pode virar a qualquer momento o presidente estadual do partido no Espírito Santo, e sua ascensão ao comando da sigla, que atualmente abriga a maior parte dos bolsonaristas que almejam disputar as eleições municipais, pode mudar o cenário que se desenhava até o momento, pois Quintino tem ligações muito próximas com o Governador Renato Casagrande, e isso pode ser fator decisivo para a mudança de alguns diretórios municipais do PSL, principalmente em Vitória e em Cachoeiro de Itapemirim.
Quem comanda o partido até o momento no Espírito Santo é Amarildo Lovato, que, recentemente, esteve com Coronel Quintino em Brasília, numa visita à cúpula do PSL, com o presidente nacional do partido, Luciano Bivar, que é rompido com o presidente do país, Jair Bolsonaro.
Daí surgiu o convite para Quintino assumir a presidência do partido no Espírito Santo, assim como foi dada a ordem para que eles não deixem o PSL servir de trampolim para aqueles que fazem parte do grupo bolsonarista assim como já atuam para a fundação do partido Aliança pelo Brasil, que faz parte do projeto político de Jair Bolsonaro.
E o que fica mais evidente que a ordem será seguida à risca em terras capixabas é que Coronel Quintino é próximo do governador Renato Casagrande, que tem interesse direto nas eleições municipais e em Cachoeiro, onde tem o PSL como principal adversário da possível reeleição do prefeito Victor Coelho (PSB).
E é essa proximidade entre Quintino e Casagrande que assombra o PSL cachoeirense, pois uma intervenção no partido em Cachoeiro de Itapemirim pode azedar as pretensões dos bolsonaristas na terra de “Neném Doido”, e isso pode obrigar a migrar o projeto para outra sigla, perdendo, assim, uma boa fatia do fundo partidário eleitoral, uma vez que o PSL é um dos partidos no país que mais dispõe do financiamento público de campanha para as eleições.
Tudo ainda é bastidor, mas Quintino foi sim convidado por Bivar e deve aceitar assumir a presidência do PSL Capixaba. E como ele já foi alvo de críticas públicas por parte de alguns membros do diretório do partido em Cachoeiro, não será novidade se a intervenção realmente ocorrer na Capital Secreta.
Mas a verdade é que, com Coronel Quintino na presidência do PSL Estadual, o partido passa a fazer parte do Governo Casagrande, mesmo que de forma velada, e como o diretório do PSL cachoeirense faz parte do projeto de fundação do Aliança pelo Brasil e é contrário à reeleição do prefeito Victor Coelho (PSB), a ascensão de Quintino e a ordem de Luciano Bivar assombram os bolsonaristas em Cachoeiro de Itapemirim.

Fonte: Da Hora ES




Nenhum comentário