Últimas

Reuniões virtuais discutem pesquisa sobre sistema de café arborizado


As reuniões pela internet entraram na rotina das equipes do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper). Os profissionais envolvidos no projeto de pesquisa sobre o “Desempenho agronômico do cafeeiro em sistemas arborizados no Estado do Espírito Santo” fazem o intercâmbio das informações técnicas por meio de encontros virtuais realizados periodicamente.

O projeto tem por objetivo avaliar o desempenho de cafeeiros arábica e conilon em cultivos arborizados e consórcios perenes, e o desenvolvimento de genótipos de cafeeiro arábica e conilon nesses consórcios. Desta maneira, pretende-se ampliar os conhecimentos técnico-científicos e a rede de pesquisa em cultivos arborizados, envolvendo pesquisadores, professores, extensionistas e agricultores.

Segundo Ricardo Eugênio Pinheiro, extensionista do Incaper e responsável pelo plano de ação do projeto, o objetivo das reuniões virtuais é dar continuidade às atividades. “Neste momento de pandemia, não dará para executar todas as atividades conforme foram planejadas. Mas podemos ‘edificar e/ou solidificar’ algumas, utilizando metodologias e meios remotos, com agricultores e entre nós. Assim, no momento em que tudo isso passar, estaremos mais preparados para executar as implementações das ações do projeto”, disse Ricardo Eugênio.

Uma das propostas do projeto de pesquisa é a instalação e o monitoramento de quatro Unidades de Pesquisa Participativas (UPPs), nos municípios de Cachoeiro de Itapemirim, Alegre, Ibitirama e Iúna. Outros municípios das regiões sul e Caparaó também serão envolvidos: Guaçuí, Dores do Rio Preto, Irupi e Jerônimo Monteiro.

“As UPPs devem avaliar o desempenho do cafeeiro arábica e conilon em cultivo arborizado e consórcio perene, em nível da propriedade familiar e de modo participativo, buscando obter indicadores econômicos da implantação de sistemas arborizados levantados e resultados econômicos mensurados na visão do agricultor”, explicou o responsável.

Ainda segundo Ricardo Eugênio, as UPPs serão implantadas em propriedades de agricultores, utilizando as metodologias de pesquisa participativa, acompanhadas e monitoradas por extensionistas, pesquisadores, bolsistas e pelos próprios agricultores. Desta maneira, o projeto pretende analisar a viabilidade do sistema sob o aspecto socioeconômico, tomando por base a percepção dos agricultores, visando a construir consórcios adequados, além de promover a difusão simultânea de resultados nas regiões sul e Caparaó.

Sobre o projeto

O projeto de pesquisa intitulado “Desempenho agronômico e econômico do cafeeiro em sistemas arborizados no Estado do Espírito Santo” é desenvolvido pelo Incaper em parceria com a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e o Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes). Além da implantação das UPPs, o projeto propõe outras quatro soluções para inovação: Gestão do Projeto; Sistema Agroflorestal (SAF) Pacotuba, Café Aránica e Juçara e Seleção de Genótipos.

Coordenação de Comunicação e Marketing do Incaper


Gostou desta matéria? Clique aqui e receba nossos conteúdos diariamente.

Nenhum comentário