Últimas

TSE mantém calendário eleitoral, mas admite a possibilidade de mudança


O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, vem se reunindo com epidemiologistas, biólogo, físicos, estatísticos e autoridades sanitárias sobre o desenvolvimento da pandemia da Covid-19, para fins da realização das eleições deste ano. Na última segunda-feira,1, Barros manteve videoconferência com os presidentes dos 27 Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) para apresentar a sua equipe e os pontos importantes de sua gestão. Dentre os temas discutidos durante o encontro, os efeitos da pandemia do novo coronavírus na organização das Eleições Municipais de 2020 foi um dos destaques.

Em sua fala, Barro reconheceu que “as eleições não serão fáceis, mas com alegria e serenidade seremos capazes de realizá-las com sucesso”. Na ocasião, o presidente do TSE disse que o momento é desafiador e que até agora o calendário eleitoral está mantido. No entanto, a possibilidade de adiamento do pleito não está descartada. O novo presidente do TSE preocupa-se que a realização das eleições não se transforme em risco para a saúde dos eleitores e dos colaboradores da Justiça Eleitoral. Assim, caso haja a necessidade de mudança, a Corte eleitoral já está estudando a hipótese de que o primeiro turno da votação para prefeitos e vereadores ocorra no dia 15 de novembro e, o segundo, no dia 6 de dezembro.

A medida de alteração da data das eleições deve ocorrer pelo menor tempo possível, de modo que não seja necessária a prorrogação dos mandatos dos políticos. Assim, já é pacífico entre todos os ministros do TSE que o caminho legal a ser adotado para o adiamento das eleições será por meio do Congresso Nacional.

Tribunal Superior Eleitoral


Gostou desta matéria? Clique aqui e receba nossos conteúdos diariamente.

Nenhum comentário