Últimas

Cafeicultores do norte capixaba recebem sementes do conilon Conquista



A ‘ES8152 Conquista’, cultivar melhorada de café conilon propagada por semente, foi apresentada aos cafeicultores da região norte do Espírito Santo. A iniciativa foi do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) e da Secretaria de Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag).
Em razão da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), a apresentação da cultivar foi feita por meio de um vídeo, gravado em Barra de São Francisco, e disponibilizado nas redes sociais do Incaper e da Seag. Como parte da ação, foram distribuídas aos cafeicultores do norte capixaba cerca de 300 quilos de sementes da cultivar Conquista.
"Estamos celebrando a apresentação da variedade conquista propagada por semente em Barra de São Francisco e região. O Espírito Santo produz 20% do café conilon do planeta, nós triplicamos a produtividade, saímos de 17 sacas por hectare para mais de 42 sacas. Tudo isso só foi possível graças ao trabalho de excelência em pesquisa e extensão rural feita pelo Incaper ao longo de todos esses anos. Não tenho dúvidas que o café capixaba vai continuar sendo referência no mundo", disse o secretário da Agricultura, Paulo Foletto.
Para o diretor-presidente do Incaper, Antônio Carlos Machado, a apresentação da cultivar Conquista aos agricultores da região norte capixaba tem uma importância significativa para a cafeicultura do Espírito Santo. Segundo Machado, a intenção é dar mais equidade à produção de café em todas as regiões do Estado.
“Nós lançamos a cultivar Conquista no sul do Estado, justamente para fortalecer e valorizar a cafeicultura de conilon daquela região. Mas, a força do café conilon está no norte, que é responsável pela maior parte da nossa produção. Além disso, historicamente, a região norte do Estado é a que mais sofre com o déficit hídrico. Por isso, a importância de apresentar a cultivar Conquista aos agricultores da região: justamente porque essa cultivar atende aos anseios e às necessidades dos cafeicultores que buscam por plantas mais resistentes à seca, mais produtivas e de qualidade”, afirmou Machado.
O lançamento foi realizado em junho de 2019 na Fazenda Experimental do Incaper em Bananal do Norte, distrito de Pacotuba, município de Cachoeiro de Itapemirim.

Dentre as principais características da nova cultivar está sua ampla base genética. Enquanto uma variedade clonal é normalmente formada por 9 a 14 clones, esta cultivar reúne 56 genótipos diferentes (clones e híbridos). A produtividade é de 74 sacas por hectare em condições normais de cultivo, o que a torna 47% mais produtiva que a Robusta Tropical, primeira cultivar propagada por semente, lançada pelo Incaper em 2000.
Rústica, a cultivar Conquista se adapta aos ambientes quentes do Espírito Santo. Suporta bem as altas temperaturas e a insolação. A planta é vigorosa, mais tolerante à seca, e apresenta moderada resistência à ferrugem (principal doença do café). O tamanho do grão é de médio a grande, e a qualidade da bebida foi considerada superior, conforme classificação mundial, pois apresentou mais de 80 pontos.
“Durante muitos anos, o cafeicultor capixaba buscava aumentar sua produtividade. Por isso, o Incaper direcionou suas pesquisas para a seleção de materiais através de plantas assexuadas, que são as variedades clonais, bastante produtivas. As variedades seminais são alternativas adequadas para atender à demanda dos produtores por plantas mais resistentes à seca e mais produtivas”, explicou o pesquisador do Incaper e coordenador técnico de cafeicultura do Instituto, Abraão Carlos Verdin Filho.

Outra ação recente para o fortalecimento da cafeicultura capixaba foi o lançamento do Prêmio Cafés Especiais do Espírito Santo. A premiação tem por objetivo reconhecer e premiar a produção de cafés especiais produzidos de forma sustentável no Espírito Santo. As inscrições estão abertas e os detalhes para participar estão Regulamento da premiação, disponível nos sites do Incaper e da Seag.
Sobre a cafeicultura capixaba

Nos últimos anos, a cafeicultura capixaba cresceu em quantidade (produtividade) e qualidade. O Estado é o segundo maior produtor de café do País: responde por mais de 27% da produção nacional. É o maior produtor de conilon do Brasil, responsável por cerca de 20% do café robusta de todo o mundo. A cafeicultura é a principal atividade agrícola do Espírito Santo: representa 37,48% do Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBPA), envolve cerca de 78 mil famílias distribuídas em aproximadamente 40 mil propriedades em 77 municípios capixabas.

De acordo com o último levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção estimada total de café para o Estado em 2020 será de 14,7 milhões de sacas. Deste total, a projeção é de 1,5 milhão de sacas de cafés superiores. A produção de cafés especiais acima de 80 pontos está estimada em 300 mil sacas beneficiadas.


Coordenação de Comunicação e Marketing do Incaper

Nenhum comentário