Últimas

Segunda edição da Feira do Pirarucu de Manejo em Santarém terá esquema de drive-thru

No evento será possível conhecer a história e fotos do manejo na região do Baixo Amazonas, assim como dialogar com os pescadores.

A segunda edição da Feira do Pirarucu de Manejo do Pará será realizada em Santarém no 7 de novembro, a partir das 7h na Praça Barão de Santarém (São Sebastião) e terá esquema de drive-thru caso o consumidor prefira comprar direto de seu veículo, para evitar aglomerações.

O evento é realizado pela Sapopema, Sebrae e Colônia de Pescadores Z-20 com apoio da Ufopa, Sedap, Semap e IFPA. Na segunda edição, além dos pescadores de Pixuna, Tapará Miri e Costa do Tapará, feira contará com a participação de pescadores de Santa Maria.

A estimativa da coordenação do evento é que a feira movimente a economia de Santarém por meio da renda dos pescadores das comunidades que juntas abastecerão uma tonelada de peixe.

No local será possível conhecer a história e fotos do manejo na região do Baixo Amazonas, assim como dialogar com os pescadores que promovem a conservação da espécie através da vigilância dos ambientes aquáticos, contagem, estabelecimento de cota, cumprimento do período do defeso e dos acordos de pesca.

Valorização do pirarucu de manejo no Pará

A campanha liderada pela Sapopema, Sebrae e Colônia de Pescadores Z-20 e apoiada por Mopebam, Ufopa, Sedap, Semap, CPP, EII e Tinker é uma continuidade de uma estratégia de valorização do pirarucu que começou em 2018 com a realização de capacitações em empreendedorismo, rodadas de negócios, cursos de filetagem e manipulação.

Nesta fase a campanha pretende fortalecer o consumo desse peixe, e incentivar consumidores a pedir aos proprietários de restaurantes e feiras que forneçam o peixe de conservação.

“O projeto tem essa dimensão de que nós possamos divulgar e levar o conhecimento de que o peixe de manejo é diferente do peixe de cativeiro. O próximo avanço é nesse direcionamento. O pirarucu de manejo é diferenciado e os diferenciados tem um valor de agregado” - ressaltou o gerente regional do Sebrae, Michel Martins.

A intenção é oportunizar meios para escoação do pirarucu produzido na região no próprio município de origem, de forma a gerar renda para as populações tradicionais e promover o entendimento do esforço que comunitários tem para garantir o futuro da espécie. A campanha informativa pretende disseminar conteúdos de forma clara sobre o manejo sustentável do pirarucu na região através de banners espalhados em restaurantes e feiras, folders interativos nas redes sociais, vídeo educativo, e artes gráficas.

Para o diretor da Colônia de Pescadores Z-20, João Mário Pinto, a campanha cumpre um papel importante para esclarecer a população do esforço comunitário. “Muitas pessoas acham que é fácil manejar”, disse.

Segundo o coordenador da Sapopema, Antônio José Bentes, já faz mais de vinte anos que as comunidades desenvolvem manejo do pirarucu que envolve todo um esforço comunitário a partir de um processo de organização e sistema de vigilância dos lagos, e um trabalho de contagem para monitoramento do estoque, conservação e estabelecimento da cota.

Coordenador regional da Sedap em Santarém, Alisson Castro disse que o órgão busca apoiar as iniciativas que visam a conservação dos recursos naturais, entre elas o manejo do pirarucu realizado por pescadores da grande região do Tapará, onde hoje é realidade a manutenção do estoque nos lagos e a segura disponibilidade para venda no mercado local mostrando ao consumidor as diversas etapas percorridas pelos atores até a venda.


Com Informações G1 Globo



Nenhum comentário