Últimas

Com a eleição de deputados do ES para prefeituras, suplentes vão assumir vagas

Veja quem serão os suplentes que assumirão as cadeiras de Lorenzo Pazolini, Euclério Sampaio, Enivaldo dos Anjos e Sérgio Vidigal.


O resultado das eleições municipais no Espírito Santo terá impacto também na representação dos capixabas tanto na Assembleia Legislativa (Ales) quanto na Câmara dos Deputados.

A partir de 1º de janeiro de 2021, três deputados estaduais e um federal deixarão seus mandatos para se tornar prefeitos: Lorenzo Pazolini (Republicanos), eleito em Vitória; Euclério Sampaio (DEM), eleito em Cariacica; Enivaldo dos Anjos (PSD), eleito em Barra de São Francisco, e Sérgio Vidigal (PDT), eleito na Serra.

Como o mandato desses parlamentares está apenas na metade, a saída deles provocará uma mudança nas casas legislativas a partir do ano que vem, já que eles deverão ser substituídos por seus respectivos suplentes, todos eles figuras conhecidas no cenário político capixaba por já terem ocupado cargos em outros mandatos.

Até as eleições de 2018, os partidos podiam formar coligações para lançar chapas de deputados federais e estaduais. Assim, os candidatos que não foram eleitos pela coligação, ficaram como suplentes, aptos a assumir os postos caso os eleitos saíssem. A partir de 2020, uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) aprovada pelo Senado, proibiu as coligações em eleições proporcionais.

 

Suplente de Delegado Pazolini

Com a eleição do Delegado Pazolini para a Prefeitura de Vitória, quem deverá assumir a cadeira de deputado estadual é conselheiro aposentado do Tribunal de Contas do Espírito Santo (TCE-ES) Marcos Madureira.

Madureira é figura conhecida no histórico político capixaba por ter concentrado um grande poder na década de 1990. Em 2012 ele foi afastado do cargo de conselheiro por decisão judicial e, por isso, pediu a aposentadoria.


Suplente de Euclério Sampaio

Euclério Sampaio deixará seu quinto mandato na Assembleia Legislativa para ocupar a cadeira de prefeito em Cariacica. No lugar dele, quem deverá entrar no Legislativo estadual é o ex-deputado estadual José Eustáquio Freitas (PSB).

Freitas foi deputado estadual por três mandatos, chegando a ser líder do governo na primeira gestão de Renato Casagrande (PSB). Atualmente, ele ocupa um cargo na Casa Civil.



Suplente de Enivaldo dos Anjos

Eleito prefeito de Barra de São Francisco no primeiro turno das eleições, Enivaldo dos Anjos deixará sua vaga na Assembleia Legislativa para o ex-deputado Luiz Durão (PDT), que foi prefeito de Linhares duas vezes, deputado federal por dois mandatos e deputado estadual.

Na condição de suplente, Durão também assumiu cadeira na Assembleia por outras duas vezes, em 2016 e 2018.

No início de 2019, Durão foi acusado de estupro de uma adolescente de 17 anos e chegou a ser preso. Na época, ele terminava o mandato na Assembleia como suplente. O político foi julgado e absolvido em primeiro e segunda instâncias.

 


Suplente de Sérgio Vidigal

Neucimar Fraga (PSD) disputou a Prefeitura de Vila Velha este ano, mas não passou do primeiro turno. No entanto, com a eleição de Sérgio Vidigal na Serra, ele poderá voltar a ocupar um cargo público, mas desta vez na Câmara Federal.

Com 54 anos, Neucimar Fraga já foi vereador de Vila Velha e foi eleito duas vezes deputado federal. Em outubro de 2008, também elegeu-se prefeito de Vila Velha.

 



Com Informações G1 Espirito Santo