Últimas

No Dia de Finados, Igreja pede a fiéis para plantarem mudas de árvores em homenagem a mortos

Em Belo Horizonte, arcebispo vai plantar no parque Ursulina de Andrade Mello, no Castelo, que teve 30% de sua vegetação consumida por incêndio em outubro.


Uma campanha nacional, capitaneada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), pede aos católicos para que aproveitem o Dia de Finados, celebrado neste 2 de novembro, para plantar uma muda de árvore em homenagem aos entes queridos que morreram durante a pandemia.

Em Belo Horizonte, o arcebispo metropolitano, dom Walmor Oliveira de Azevedo, que é presidente da CNBB, vai celebrar uma missa no bairro Castelo às 9h e, em seguida, fazer seu plantio no parque Ursulina de Andrade Mello, que teve 30% de sua vegetação consumida por um incêndio que durou quatro dias, no início de outubro.

"Esse gesto, além de evitar as tradicionais aglomerações nos cemitérios, liga-se também à triste destruição ecológica decorrente das queimadas em algumas regiões do país", declarou o secretário-geral da CNBB, dom Joel Portella Amado, sobre o objetivo da campanha.

Haverá plantios também no sopé da Serra da Piedade, território do Santuário Basílica Nossa Senhora da Piedade, após a missa das 15h.

No Córrego do Feijão, uma das regiões mais atingidas pela tragédia em Brumadinho, o bispo auxiliar dom Vicente Ferreira plantará uma árvore às 8h30, logo após missa na Igreja Nossa Senhora das Dores, em homenagem aos mortos, que lembrará também as vítimas do rompimento da barragem da Vale, que matou 270 pessoas em 2019.

E, em Sabará, no Santuário Arquidiocesano Santo Antônio de Roça Grande, o bispo auxiliar dom Geovane Luís da Silva vai plantar muda de árvore após celebrar a missa das 9h.

#CuidarDaSaudade

A CNBB sugere aos fiéis que publiquem fotos do plantio das mudas no Instagram, com a hashtag #CuidarDaSaudade e um breve relato sobre cada pessoa homenageada.

As fotos, os nomes das pessoas falecidas homenageadas e suas histórias vão entrar em um site preparado para a iniciativa.



G1

Nenhum comentário