Últimas

Covid-19: Estado abre mais 37 leitos de UTI ainda neste ano

Até o momento, o Espírito Santo registra 239.036 casos confirmados da covid-19 no estado, além de 4.941 mortes causadas pela doença



O secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, concedeu, nesta segunda-feira (28), coletiva para atualizar informações sobre o enfrentamento à covid-19 no Espírito Santo. A primeira parte da entrevista abordou o censo sorológico dos professores e será comentado pelo gerente Estadual de Vigilância em Saúde, Orlei Cardoso, e pela médica infectologista da Subsecretaria de Estado de Vigilância em Saúde, Cristiana Costa Gomes.

O censo sorológico foi dividido por regiões. Na regional metropolitana, Vitória, Afonso Cláudio e Guarapari foram as cidades com maior número de amostras coletadas. Foram 15.639 ao todo, com 1.059 positivos. Ibatiba registrou o maior percentual de positividade, com 13,33% de casos positivos, em 60 amostras coletadas.

Por regional, São Mateus (Norte) ficou com 5,49% de positividade entre 1913 exames. Cachoeiro de Itapemirim (Sul), registrou 5,34% de 1555 coletas; Colatina (Central) teve registro de 5,60% em 1965 amostras; e a regional metropolitana, lidera com 6,77% de positividade.

O secretário Nésio Fernandes afirmou que até esta terça-feira (29), mais 37 leitos de UTI exclusivos para covid-19 serão abertos no Espírito Santo. Ele ainda relatou que pretende começar o ano de 2021 com um trabalho mais robusto para o enfrentamento da pandemia do estado.

O Subsecretário em Vigilância de Saúde, Luiz Carlos Reblin, destacou que cada cidade capixaba tem condições de acompanhar as atualizações do Painel Covid-19 para traçar estratégias para enfrentar a pandemia. “Se o município é litorâneo, pode ser feito uma restrição de acesso às praias, por exemplo. A prefeitura municipal pode adotar medidas complementares mais restritivas daquelas que são passadas pelo estado”, disse.

Reblin afirmou ainda que os municípios devem acompanhar a evolução da doença para traçar estratégias compatíveis com a realidade de cada local. “Cada cidade precisa acompanhar o desenvolvimento da doença em seu território e verificar as condições de funcionamento dos estabelecimentos que podem abrir neste período, além de adotar as medidas de fiscalização. Desde o início da pandemia não são permitidos grandes eventos com aglomeração, independente das festas deste período.

Sobre a vacinação, em que ainda não há previsão de início, o secretário afirmou que segue em diálogo com a indústria, mas destacou que há grande competitividade. “É muito difícil para os estados negociarem isoladamente, pela corrida que tem em todo mundo pela vacina. De fato, existe por parte do comportamento do governo brasileiro um atraso que tem assustado a todas autoridades sanitárias. Nossa perspectiva aponta que em fevereiro ou março estaremos iniciando a vacina de grupos prioritários. Não é possível aceitar o fato de não termos um calendário para a vacinação de todos os brasileiros. A vacinação é a principal medida capaz de vencer a pandemia”, destacou.

 

Casos

De acordo com a atualização mais recente do Painel Covid-19, da Secretaria de Saúde, até o momento, o Espírito Santo registra 239.036 casos confirmados da covid-19 no estado, além de 4.941 mortes causadas pela doença.

 

Com Informações Jornal a Ilha



Nenhum comentário