Últimas

Projetos da Sejus estão entre os finalistas do Prêmio Inoves 2020


Projetos desenvolvidos nas unidades prisionais administradas pela Secretaria da Justiça (Sejus) estão entre os 38 finalistas do Prêmio Inoves. A iniciativa, que está em sua 14ª edição, é um programa do Governo do Estado que estimula o desenvolvimento de uma cultura de inovação e empreendedorismo no serviço público capixaba.

A Sejus concorre na Categoria Ideia com o projeto “Recompilando o Futuro: A Tecnologia como Ferramenta de Educação Prisional”, bem como nas categorias “Projetos de Resultados” e “Voto Popular” com o “Maternar Lactantes Presas”, do Centro Prisional Feminino de Cariacica (CPFC).

Ao todo, sete equipes do Executivo Estadual e três do Municipal serão premiadas com recurso de R$ 30 mil reais cada, disponibilizado por meio de parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Espírito Santo (Fapes). Esse valor será investido no processo de aceleração das iniciativas vencedoras. Além disso, elas receberão certificado e selo do programa, também concedidos às equipes vencedoras de outros Poderes.

O Inoves é voltado a equipes de servidores do Executivo Estadual, Municipais e de outros Poderes, que podem concorrer separadamente em três categorias: Ideia, Projeto em Desenvolvimento e Projeto de Resultados.

A votação da categoria “Voto Popular” será realizada a partir desta terça-feira (02) e segue até o dia 18 de dezembro. Para votar, basta acessar o site https://inoves.es.gov.br/ Os finalistas de cada categoria e os destaques especiais serão conhecidos no dia 22 de dezembro.

 

Conheça os projetos da Sejus que concorrem ao Inoves:

Recompilando o Futuro: A Tecnologia como Ferramenta de Educação Prisional” -   O projeto finalista na Categoria Ideia é fruto de uma pesquisa do curso de Mestrado em Educação Profissional e Tecnológica do aluno Fábio Ventorim Siqueira, servidor do Ipem, que buscou trabalhar as habilidades do pensamento computacional e ensinar conceitos básicos de programação de computadores para pessoas que vivem em privação de liberdade.

Com uma parceria firmada entre a Sejus e o Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), por meio do Centro de Referência em Formação e em Ensino a Distância (Cefor), em dezembro de 2019, foi possível aplicar o curso a um grupo formado por 10 alunos que vivem em privação de liberdade, na Penitenciária Semiaberta de Vila Velha (PSVV). Os resultados dessa experiência surpreenderam os pesquisadores e os profissionais da segurança pública, ao mostrar como o tempo ocioso em cela deu lugar ao pensamento computacional e criativo dos alunos, inclusive, daqueles que nunca haviam usado um computador antes. 

O projeto Recompilando o Futuro: a Tecnologia como Ferramenta de Educação Prisional traz como proposta a continuidade dessa capacitação não só nas unidades prisionais, mas de expandir a iniciativa para o Cefor, a fim de capacitar as pessoas do regime semiaberto que já possuam o benefício para estudar e/ou trabalhar fora das penitenciárias.

 

Maternar Presas Lactantes - O projeto que surgiu como um piloto, no Centro Prisional Feminino de Cariacica (CPFC), desenvolve ações voltadas ao cuidado com as gestantes, lactantes e bebês custodiadas na unidade prisional, que visam à proteção da primeira infância. No CPFC há uma instalação específica para lactantes e bebês, que conta com enxoval, berçário e quartos humanizados, brinquedoteca, banheiros e outros equipamentos que criam um ambiente salubre e lúdico, propício para o desenvolvimento das crianças.

Enquanto estão no berçário materno-infantil, as internas mamães recebem acompanhamento psicológico, social e de saúde, a fim de potencializar a troca afetiva entre a díade mãe-bebê. Além disso, outras ações são desenvolvidas para promover o desenvolvimento seguro materno infantil com base no marco legal da primeira infância.

 

Assessoria de Comunicação da Sejus