Últimas

Morre o veneciano Mastroianny Célia Neves

MASTRÔ faleceu na manhã desta quinta-feira.

Hoje é um dia muito triste para quem conheceu o veneciano Mastroianny Célia Neves, de 44 anos, e recebeu, como um choque, a notícia de sua morte. Mastrô, como era carinhosamente conhecido, faleceu na manhã desta quinta-feira (08), por volta das 7h40 da manhã no Hospital Municipal de Jaru, em Rondônia, vítima da Covid-19.

Mastroianny foi contaminado pelo coronavírus e foi internado no início do mês de junho na Unidade Sentinela, montada em anexo ao Centro de Saúde da Mulher. Já no dia 10 de junho, ele foi transferido para a UTI do Hospital Municipal de Jaru, pois seu quadro de saúde piorou. Já na unidade, no dia 17, ele precisou ser intubado, pois seus pulmões estavam comprometidos devido à doença. Desde então, ele estava sendo mantido sedado e intubado, chegou a sofrer uma embolia pulmonar onde os médicos conseguiram reverter o quadro. No entanto, o problema continuava nos pulmões e, após quase um mês na UTI lutando pela vida, ele não resistiu e foi a óbito na manhã de hoje.

A morte precoce de Mastrô causou grande comoção em Jaru, onde ele reside, e também em Nova Venécia, onde ele possui muitos e muitos amigos. Todos acreditavam que ele iria vencer a doença, já que não tinha comorbidades, nunca fumou, praticava esportes e estava com a saúde perfeita há um mês.

Correntes de oração foram realizadas nesse tempo, promovidas por familiares e amigos, pedindo por sua rápida recuperação. Infelizmente a cura não aconteceu e Mastrô entra nas estatísticas junto aos mais de 530 mil brasileiros mortos pela Covid.

INFÂNCIA E JUVENTUDE

Mastroianny nasceu em Nova Venécia no dia 25 de janeiro de 1977. Filho dos saudosos Jarbas Fernandes Neves e Maria Célia, ele foi morar em Rondônia com os pais e irmãs (Daniela e Poliana) no ano de 1986. Foram pioneiros ainda na pequena, mas próspera, cidade de Jaru, onde a família abriu um escritório de contabilidade que era um dos maiores e mais conceituados da cidade.

Na adolescência, já no início dos anos 90, Mastroianny veio morar em Nova Venécia para estudar, onde conquistou grandes amizades fortes e que mantinha contato frequentemente.

Em 1995, novamente morando em Jaru, ele enfrentou um dos piores momentos de sua vida, quando perdeu os pais em um acidente automobilístico. Após viagem de férias ao Espírito Santo, Jarbas, Maria, Mastroianny, sua irmã Poliana e o motorista do veículo, Maninho, retornavam para Rondônia quando o veículo em que estavam colidiu contra uma carreta que perdeu o controle em uma pista. A família cruzou o país inteiro e, já na cidade de Cacoal-RO, aconteceu a tragédia. O motorista e os filhos sobreviveram.

Mastroianny sempre trabalhou na área de seguros e, atualmente, ele era proprietário da Maseg Corretora de Seguros, na cidade de Jaru e com atendimento em toda a região.

VIDA

Mastroianny era uma pessoa sempre de bem com a vida, brincalhona, amava a família e gostava de estar entre os amigos. Amigos que, por sinal, ele cultivou em todos os lugares e era muito querido por todos. Flamenguista, não perdia nenhum jogo do seu time de coração. Apesar de morar há muitos anos em Rondônia, ele nunca se esquecia de Nova Venécia, cidade em que praticamente todos os anos vinha para rever familiares e curtir as férias. Quem o conhecia resume a sua partida em uma frase: vai deixar muitas saudades!

FAMÍLIA

Mastrô era casado com Franciely Dahmer e deixa dois filhos: Pedro Lucas, de 9 anos, e Davi Luiz, de 02 anos.

VELÓRIO E SEPULTAMENTO

O corpo de Mastrô está sendo velado no Salão Catequético da Comunidade São João Batista, à Avenida Padre Adolpho Rohl, em Jaru, e seu sepultamento acontecerá às 18 horas desta quinta-feira no Cemitério São João Batista. Ele será enterrado junto aos seus pais.

DEPOIMENTOS

“É até difícil de falar, pois meu coração está devastado. Não consigo acreditar que você nos deixou. Mastrô, todas as conversas que tenho registradas com você nunca terminavam sem dizer ‘amo vcs’. Descansa, primo, também amo você”, disse emocionada a prima, a veneciana Luciana Sélia.

“É inacreditável. Grande amigo Mastrô… Que nosso Grande Mestre e todas as boas energias te ampare nessa passagem. Só guardarei boas lembranças!”, escreveu o amigo veneciano Fabricio Araújo Oliveira.

“Mais uma perda para a covid-19. Hoje demos o último adeus ao nosso querido amigo Mastroianny C. Neves Ele se foi as 44 anos, deixando a saudade em seu lugar. Mastrô era empresário, jovem, alguém muito querido, carismático e flamenguista de alma e coração. Sua partida deixará um enorme vazio entre os seus. Deixo aqui minha solidariedade e apoio a todos os seus familiares e amigos. Pouco pode ser dito ou feito, porém, sei que Deus, em sua infinita bondade, cuidará de todos, dando a força necessária para passarem por esse momento difícil. Descanse em paz, amigo!”, escreveu em uma rede social a deputada estadual Cassia Muleta.

“Mastrô, meu primo querido, meu amigo, meu compadre. Eu acreditava piamente que você iria vencer essa Covid e, quando a notícia de sua morte chegou, fiquei sem chão. É um dos dias mais tristes de toda a minha vida. Eu, que costumo escrever o obituário de tanta gente para o jornal, hoje sinto dificuldade para fazer o seu, meu primo, meu brother. Estivemos juntos por tantas vezes, quantas risadas, quantas lembranças boas que vou guardar. Que Deus lhe reserve um bom lugar e dê forças para os familiares e amigos para suportar tanta dor”, lamentou Billy Baldo.

VEJA OUTRAS FOTOS DE MASTRÔ:

MASTRÔ com a afilhada Maria Luiza Oliveira Baldo.
COM a esposa e os filhos.
Correio9