Últimas

PCES investiu em infraestrutura e tecnologia em 2019



No ano passado, 40 unidades da Polícia Civil (PCES) foram contempladas com nova infraestrutura de rede. As novas instalações foram realizadas em municípios de todas as regiões do Espírito Santo, tendo sido investidos R$ 868.166,58. A PCES, por meio da Divisão de Tecnologia da Informação (DTI), firmou um projeto que contemplará novas unidades em 2020.
“A informatização é peça fundamental para o desempenho dos serviços da PCES, pois as atividades executadas pelos policiais dependem, cada dia mais, do sistema Delegacia On-line, o Deon”, disse o delegado-geral da PCES, José Darcy Arruda.
O delegado acrescentou que os policiais também fazem uso diário dos sistemas informatizados da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp); da Rede de Informações de Segurança Pública dos Órgãos de Fiscalização do Brasil (Infoseg); do Departamento de Trânsito (Detrannet); do Sistema Guardião; do e-Docs; do Sistema de Protocolo Integrado da PCES (Sipanet); do sistema de laudos do Departamento Médico Legal (DML); além de outros sistemas de apoio ao planejamento, análise e investigação criminal.
“Desse modo, o investimento na área de tecnologia torna-se necessário ao trabalho dos servidores que atuam diretamente com sistemas informatizados”, afirmou Arruda. Ele relata também sobre a aquisição de microcomputadores e afirma que o investimento modernizará o parque tecnológico da PCES. “O uso de equipamentos novos, atualizados tecnologicamente e com garantia de funcionamento durante todo o seu período de vida útil, proporcionará ao policial civil mais eficiência no desempenho de suas atividades administrativas, gerenciais e investigativas”, detalha.
A chefe da Divisão de Tecnologia da Informação (DTI), investigadora de polícia Geovania Natalia Vetis Teixeira, destacou que as obras só foram possíveis graças à parceria realizada com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O projeto firmado em 2018 foi orçado em R$ 1.660.279,81. 
“O investimento prevê o fornecimento e a instalação de materiais para a execução, substituição e manutenção da infraestrutura dos equipamentos, bem como cabeamento estruturado de redes lógicas e instalações elétricas. Com esse valor, promoveremos ainda mais instalações em 2020”, adiantou Geovania Natália.  
A chefe da DTI alegou também que as mudanças visam à reestruturação de toda a rede dos prédios e unidades da PCES, possibilitando adequações ao uso de novas tecnologias e a organização de toda a infraestrutura da rede nos termos da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).
“Essa reestruturação agilizará o acesso ao sistema da Delegacia On-line e suas ferramentas que, após a implantação de novos procedimentos oferecidos por esta plataforma, demandará uma rede de dados mais estável e segura. Além disso, é conhecido que algumas unidades policiais passam por adequações esporádicas em virtude de necessidades circunstanciais, exigindo que a instituição realoque os seus recursos”, afirmou a chefe da DTI.

Ampliação de cabeamento estruturado, de pontos de rede e velocidade de acesso
Para a expansão da rede sem fio da Polícia Civil no ES houve o investimento de R$ 290.062,40, com recursos do BID. Foram adquiridos 80 equipamentos de rede sem fio, que suportam altas velocidade, com mecanismos avançados de segurança que garantem a privacidade dos dados, mesmo em rede sem fio.
“A PCES possui grande demanda de cabeamento estruturado e que vem sendo atendida de forma satisfatória por meio de redes sem fio (wireless). A ampliação da rede justifica-se por ser uma solução rápida, eficiente e de menor investimento, que facilmente pode ser movida, diferentemente do cabeamento estruturado”, explicou Geovania Natália.

Novos computadores 
A PCES adquiriu 200 microcomputadores, com garantia de quatro anos fornecida pelo fabricante, além de 1.065 nobreaks, uma vez que oscilações ou indisponibilidade abrupta na rede elétrica das unidades policiais podem causar prejuízos aos equipamentos e também comprometer a produtividade dos policiais.

Unidades policiais contempladas com a nova estrutura de rede em 2019

Região Metropolitana
Divisão de Repressão aos Crimes Contra o Patrimônio (DRCCP); prédio da Chefatura da PCES; Academia de Polícia Civil (Acadepol); Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Serra, Vitória e Cariacica; 1º, 3ª e 5ª  Delegacias Regionais (DRs), respectivamente em Vitória, Serra e Guarapari; Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV); Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente e Patrimônio Cultural (DPMAPC); Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Vila Velha e de Guarapari; Distrito Policial de Atendimento à Mulher de Serra (DPAM); Delegacia Especializada de Costumes e Diversões (Decodi); 4º e 6º Distritos Policiais, respectivamente em Vitória e Vila Velha; e Departamento Médico Legal (DML), em Vitória.

Sul
Serviço Médico Legal (SML) e Perícia de Cachoeiro de Itapemirim; Delegacia de Polícia de Castelo, Vargem Alta, Marataízes, Piúma, e Anchieta; 7ª e 9ª Delegacia Regional de Cachoeiro de Itapemirim (plantão) e de Itapemirim; e Posto de Identificação de Anchieta.

Serrana
Delegacia de Polícia de Santa Maria de Jetibá, Itaguaçu e Santa Leopoldina.

Noroeste
Serviço Médico Legal, Perícia e 15ª Delegacia Regional de Colatina; Delegacia de Polícia de Nova Venécia; e Delegacia de Polícia de Barra de São Francisco.

Norte
Delegacias de Polícia de João Neiva, Fundão e Ibiraçu; e Posto de Identificação de Ibiraçu.

Assessoria de Comunicação da Polícia Civil





Nenhum comentário