Últimas

Trombectomia mecânica: novo tratamento para AVC chegará ao SUS e reduz mortalidade do paciente



Os casos de Acidente Vascular Cerebral (AVC) estão crescendo em todo o mundo, sendo uma das principais causas de mortalidade e incapacidade. No Espírito Santo, entre janeiro e agosto de 2019, foram registrados mais de 3 mil casos da doença, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa). 
Em nível nacional os números também são alarmantes. No Brasil ocorrem mais de 400 mil novos casos da doenças todos os anos e, a cada cinco minutos, uma pessoa morre. No total, o AVC leva a óbito 100 mil pessoas por ano. 

Trombectomia 
Recentemente a Rede Brasil AVC, em parceria com o Ministério da Saúde, concluiu um estudo de viabilidade para incluir a trombectomia mecânica no SUS. A pesquisa (Resilient) foi realizada de 2017 a 2019 em 12 centros de saúde nacionais e contou com a participação de 609 pacientes. 
Os neurointervencionistas concluíram que, quando comparada aos tratamentos medicamentosos (que estão no SUS) a cirurgia aumenta de 21% a 35% a independência funcional do indivíduo, além de reduzir em 16% a mortalidade ou o risco de dependência intensa. "É um progresso incrível para o impacto do AVC na sociedade brasileira”, afirma a neurologista Sheila Martins.
Este novo tratamento está sendo debatido no Rio de Janeiro, que trará em breve mais informações a respeito do tratamento. 

AVC
A doença é a principal causa de incapacidade em adultos e já foi a principal causa de morte no país, passando ser a segunda causa de morte desde 2011.
O AVC ocorre quando há uma alteração na circulação sanguínea do cérebro. Ele pode ser isquêmico (quando um vaso sanguíneo no cérebro fica bloqueado devido a um coágulo ou trombo ) que é o tipo mais comum, correspondendo a 85% dos casos, ou o hemorrágico, (quando a artéria se rompe e o sangue extravasa).
Portanto, ao identificar os sintomas clássicos da doença, como perda da força muscular ou formigamento, principalmente dos braços, pernas ou de um lado do corpo, assimetria facial, forte dificuldade de fala e movimentação da língua, além de fortes dores de cabeça, ligue imediatamente para o SAMU. 

Fonte: Folha Vitoria




Nenhum comentário