Últimas

Círio de Nossa Senhora da Conceição será realizado com protocolo de segurança, diz arcebispo

O anúncio foi feito na manhã desta sexta-feira (24), durante coletiva de imprensa com a coordenação das festividades.


A arquidiocese de Santarém confirmou para o dia 22 de novembro deste ano, a realização do Círio de Nossa Senhora da Conceição, em Santarém, oeste do Pará, com uso obrigatório de máscaras de proteção para que não haja disseminação do novo coronavírus. O anúncio foi feito pelo arcebispo Dom Irineu Roman, em coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira (24).

De acordo com Dom Irineu, algumas mudanças serão necessárias para que as pessoas possam participar da procissão de forma segura e tranquila.

“Estamos num ano atípico, um ano de pandemia do novo coronavírus, mas quando a gente fala de festividade, a primeira coisa que a gente tem que lembrar é da espiritualidade. O Círio de Nossa Senhora da Conceição vai acontecer em primeiríssimo lugar por causa da vida espiritual do povo. E o povo do Baixo Amazonas é de uma fé e uma fidelidade profunda a Deus. Precisamos fazer essa experiência com Deus nesse tempo de pandemia. Mas será um Círio diferente”

Dom Irineu acredita que esse será o melhor Círio de todos os tempo, um Círio de profunda reflexão, de valorização da vida espiritual que se faz tão necessária pra vencer as tribulações impostas pela pandemia de Covid-19.

Coletiva de imprensa sobre as festividade de Nossa Senhora da Conceição 2020 — Foto: Kamila Andrade/G1
“Maria, a servidora do Senhor” foi o tema escolhido para a festa deste ano, que faz menção a uma passagem do Evangelho de Lucas quando o arcanjo Gabriel em visita à Maria foi anunciar que ela havia sido escolhida pra trazer ao mundo o filho de Deus, e ao final do diálogo ela disse: “Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua Palavra’.

“Maria foi a maior serva, teve uma vida de doação, e nós estamos vendo nesse tempo difícil de pandemia muitos bons exemplos de doação, principalmente dos profissionais de saúde. É impressionante a doação, a dedicação dos profissionais da saúde na atenção e cuidados com os doentes”, observou Dom Irineu.

Corda, celebrações e arraial

Uma das medidas de segurança a ser adotada no Círio deste ano é a retirada da corda dos promesseiros, um dos símbolos da fé do povo católico.

"Nós como Igreja Católica vamos dar uma atenção muito especial aos promesseiros, com acolhimento especial à sua promessa, tanto no decorrer do Círio, nas várias procissões, nas igrejas, porque as pessoas que pagam promessas também podem se adequar. Se eles não podem pegar na corda, nós vamos criar um outro mecanismo para que eles possam pagar suas promessas", disse Dom Irineu.

O arcebispo ressaltou que o Círio é em primeiro lugar, um momento de fé, principalmente em um ano difícil, que muitas pessoas perderam entes queridos para a Covid-19. "Queremos com o Círio poder levar o conforto da fé, com a presença de Nossa Senhora da Conceição, levando o Cristo Vivo".

A arquidiocese planeja realizar as celebrações deste ano fora da igreja, no elevado da praça da Matriz, para que um número maior de pessoas possa participar. Dentro das igrejas há uma limitação de pública por conta das medidas de prevenção ao novo coronavírus. O número máximo de fieis dentro dos templos é de 100.

Continua mantida toda a programação de arraial, inclusive com o funcionamento da barraca da Santa. "No arraial é mais fácil de cumprir a questão dos protocolos, com separação de mesas, porque nós estamos devidamente orientados pelos órgãos de saúde", disse o coordenador da Comissão da Festa, Gilberto Dinelly.


G1

Nenhum comentário