Últimas

ES tem 11 imóveis da União disponíveis para leilão; galpão em Jardim da Penha tem lance mínimo de R$35 milhões


Apesar da crise econômica que atingiu praticamente todos os setores do Brasil, o mercado imobiliário começa a dar sinais de melhora no Espírito Santo. Um exemplo deste cenário é o interesse de compradores por imóveis da União que estão com previsão de serem leiloados neste ano.


Segundo o Superintendente do Patrimônio da União no Estado, Márcio Furtado, o Espírito Santo foi a única unidade federativa que, mesmo durante a pandemia, conseguiu vender imóveis da União. O empreendimento citado é uma casa localizada na Praia da Costa, em Vila Velha, antiga sede do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que foi vendida neste mês por R$680 mil.

De acordo com o Ministério da Economia, a previsão é de que em 2020 seja realizada a venda de outros 11 imóveis da União localizados no Estado.

Um dos mais visados pelos compradores, segundo Furtado, é o Galpão do Instituto Brasileiro de Café (IBC), situado em Jardim da Penha, na capital. “O mercado está bem aquecido na região, estamos recebendo várias visitas e muita gente está esperando essa guinada na economia para poder voltar a fazer investimentos”, disse o superintendente.

O Galpão do IBC, que está sob responsabilidade da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), tem 33.000m2 , e, segundo o Ministério da Economia, o lance mínimo para arremate é de R$35.000.000.

Além deste imóvel, há casas, salas comerciais e até fazendas na lista para leilão na Grande Vitória e no interior do Estado.


Como funciona o leilão?

Cada imóvel terá um edital publicado. Nele vai constar o valor do lance mínimo, o local em que ele está situado, entre outras informações. Os compradores que demonstrarem interesse em adquirir o imóvel deverão fazer um depósito de 5% do valor mínimo em uma conta da União (que será divulgada no edital). Na data definida para o leilão os envelopes com os lances serão abertos ao mesmo tempo. O que for de maior valor leva o imóvel. Depois, os compradores que não conseguirem o imóvel recebem o valor pago adiantado.

Confira os lances mínimos de cada imóvel:

• Galpão em Cachoeiro de Itapemirim: R$540.000 de lance mínimo – 810m2;

• Terreno Av. Vitória: R$4.800.000 de valor lance mínimo – 2.431m2;

• Terreno Santa Lúcia: R$6.500.000 de lance mínimo – 6.635m2;

• Residência Praia do Canto (R. José Teixeira): R$2.700.000 de lance mínimo – 1.000m2;

• Salas comerciais no Centro de Vitória: R$750.000 de lance mínimo – 240m2;

• Terreno em Linhares: R$2.400.000 de lance mínimo – 6.000m2;

• Residência na Praia do Canto: R$1.730.000 de lance mínimo – 688m2;

• Terreno em Guarapari: R$1.050.000 de lance mínimo – 1.450m2;

• Fazenda em Aracruz: R$2.500.000 de lance mínimo – 287.000m2;

• Imóvel CONAB: R$35.000.000 de lance mínimo – 33.000m2;

. Terreno na BR 101 (Serra): R$1.800.000 de lance mínimo – 4.500m2.


– Galpão em Cachoeiro de Itapemirim

Foi publicado no Diário Oficial da União do último dia 15, o edital de concorrência pública para alienação de um terreno de 810 m² em Cachoeiro do Itapemirim (ES). No local está construído um galpão. O valor mínimo de avaliação do imóvel é de R$ 580 mil e os interessados têm prazo até as 10h do dia 26 de agosto para a apresentação de suas propostas


– Calendário


Segundo o Ministério da economia, em agosto existe a previsão do edital para venda de 3 imóveis no Estado, sendo: 2 terrenos e 1 residência;

Em setembro, a expectativa é dar início ao edital para venda de 2 salas comerciais;

Em outubro, a previsão é da venda de 2 imóveis, sendo: 1 residência e um 1 terreno;

Já em novembro, a previsão é leiloar o Galpão do IBC, localizado em Vitória, além de 1 terreno e 1 fazenda;

Para o ano que vem, a previsão é lançar o edital para venda de 1 terreno na BR 101.



Folha Vitória

Nenhum comentário