Últimas

Universidades estão autorizadas a voltar com aulas presenciais no ES


Aulas presenciais estavam suspensas no estado desde meados de março


As instituições públicas e privadas de ensino superior do Espírito Santo estão autorizadas a retomar as atividades presenciais a partir desta segunda-feira (14).
As instituições precisarão seguir o protocolo sanitário definido pela Secretaria da Saúde (Sesa) em portaria, que prevê, entre outras coisas, a adoção de um Plano Estratégico de Prevenção e Controle (PEPC) em cada instituição.
As aulas presenciais estavam suspensas no estado desde meados de março.
A autorização para o retorno do ensino presencial foi anunciada pelo governador Renato Casagrande (PSB) no dia 26 de agosto.
As universidades podem optar por seguir no ensino remoto.
A maior instituição de ensino superior do estado, a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), vai continuar com aulas remotas até 15 de dezembro. O Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) não vai voltar com as aulas presenciais até o final de 2020.
A Universidade Vila Velha (UVV) e a Faesa, duas das maiores faculdades particulares capixabas, retomaram as aulas presenciais nesta segunda.

Plano de volta às aulas
O governador anunciou no dia 4 de setembro que tem “interesse” em retomar as aulas presenciais das instituições da educação básica em outubro. Um plano de retomada foi divulgado pelo governo e disponibilizado para consulta pública.
“Temos interesse em retornar com outros níveis da educação básica a partir de outubro. O primeiro a retornar, certamente, será o ensino médio, mas vai depender de uma avaliação até o final do mês. O nosso interesse é ir retornando com atividades presenciais dentro do protocolo já anunciado pela Educação e Saúde”, disse Casagrande.
Tal protocolo prevê as medidas a serem adotadas nas instituições de ensino para que a retomada seja segura para alunos e funcionários.
"Não será todo mundo ao mesmo tempo na sala de aula. Seguiremos uma série de medidas", disse o governador.
O plano prevê o retorno às aulas presenciais das escolas públicas estaduais, em regime de revezamento semanal, gradual e em etapas.
O uso das atividades remotas por meio do Programa EscoLAR passou a ser considerado carga horária letiva a partir de 1º de julho.
Com isso, mesmo com o retorno às aulas presenciais, as atividades e os recursos disponibilizados à distância complementarão as atividades dos encontros presenciais, constituindo um modelo híbrido da oferta educativa.
Quando for definida a retomada, as unidades escolares deverão observar procedimentos técnicos e sanitários.

Com Informações G1 Globo




Nenhum comentário