Últimas

Projetos de enfrentamento à Covid-19 apoiados pela Fapes já apresentam resultados

O Governo do Espírito Santo está investindo R$ 3 milhões em 34 projetos de pesquisa e inovação para enfrentamento à Covid-19, doença causada pelo novo Coronavírus (SARS-CoV-2), e os primeiros resultados devem estar disponíveis em algumas semanas. Os estudos começaram a ser realizados entre junho e julho deste ano e o prazo de execução varia de três meses a dois anos. Entre os produtos que serão lançados estão um jogo digital educativo, um sensor de temperatura corporal e um esterilizador de ar.

Logo no início da pandemia e do período de incentivo ao isolamento social, iniciativas capixabas de combate à Covid-19 foram identificadas pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes). A autarquia, vinculada à Secretaria da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti), realizou um levantamento entre as instituições de ensino, pesquisa e extensão, incluindo também empresas constituídas e startups, formando um cadastro que serviu de base para o lançamento do edital.

“Um dos efeitos da pandemia de Covid-19 foi o surgimento de ações individuais e corporativas com a aplicação imediata de tecnologia e inovação para enfrentar os danos provocados pela doença”, destacou o diretor-presidente da Fapes, Denio Rebello Arantes. “Os primeiros resultados são significativos e usam o conhecimento científico-tecnológico como instrumento de superação de problemas causados pela pandemia.”

 

Casais durante pandemia

Na edição que foi ao ar no dia 27 de setembro deste ano, o programa Fantástico da TV Globo transmitiu uma reportagem sobre divórcio, abordando, entre outras informações, os resultados preliminares do estudo coordenado por Fabiana Pinheiros Ramos, pesquisadora e professora vinculada ao Departamento de Psicologia da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes).

O projeto “Ajudando casais a se vincularem durante a pandemia de Covid-19: uma intervenção baseada no Modelo Consciência, Coragem e Amor” está na fase de comparação de dados, com pesquisas feitas entre casais dos Estados Unidos. Apesar de a pesquisa levar alguns meses ainda para ser concluída, alguns resultados do trabalho já estão prontos para publicação em revista científica, além de terem gerado uma cartilha informativa sobre o assunto.

 

Jogo virtual

Em fase final de testes, o jogo “O Mundo de Augusto” está pronto para ser lançado nos próximos dias. Digital e educativo, o produto da Mito Games foi criado para conscientizar crianças sobre a importância dos hábitos de higiene e de comportamento social para prevenção da Covid-19. O game é gratuito e será disponibilizado nas lojas on-line dos sistemas operacionais de smartphone Android (Google) e iOS(Apple).

O diretor da Mito Games, Marcelo Herzog Simões, mostra muita empolgação com o lançamento do jogo. “A primeira etapa do game é formada por três fases que contemplam as ações de lavar as mãos, utilizar a máscara e manter o distanciamento”, destacou Simões. Ele garante que novas fases serão lançadas, abordando outras mensagens importantes para as crianças se prevenirem em relação ao novo Coronavírus.

No jogo, os irmãos Augusto e Helena são crianças que estão passando por dificuldades causadas pela pandemia de Covid-19. O avô das crianças entrega a eles uma lupa mágica que, quando utilizada, transforma as crianças em miniaturas no tamanho do vírus, permitindo então o combate com água e sabão.

 

Sensor de temperatura

Outra iniciativa apoiada pela Fapes é uma solução de baixo custo para identificar a temperatura corporal das pessoas, sem contato ou necessidade de um operador humano. O sistema identifica o rosto numa distância de cerca de um metro e emite alertas, caso a pessoa apresente febre. A tecnologia Sensehuman, desenvolvida pela empresa Multicast, pode ajudar no combate à Covid-19, por meio do mapeamento de riscos de possíveis infectados.

O coordenador do projeto e especialista em computação, Sergio Teixeira, destaca que o equipamento desenvolvido é ideal para uso nos acessos a locais com maior fluxo de pessoas. “As soluções existentes no mercado que utilizam câmeras de infravermelho para detectar pessoas com febre são de alto custo, o que dificulta a utilização em larga escala”, disse.

“Sensehuman é uma tecnologia de pequeno custo que vai apoiar a retomada inteligente das atividades econômicas e sociais, com o mapeamento de riscos e alertas para a tomada de outras medidas de controle”, afirmou Teixeira. O dispositivo está em fase de ajuste final para entrar em operação.

 

Canal rural de vendas

Um aplicativo desenvolvido pela Fundagres Inovar estará em breve à disposição de agricultores, extrativistas e empreendedores rurais e da pesca, como o novo canal de divulgação de produtos e serviços. Inspirado nas funcionalidades básicas do classificado virtual, o aplicativo faz parte do projeto “Portal Web e App Campo Livre – uma estratégia para a comercialização dos produtos e serviços da Agricultura Familiar e de Produtores Rurais do Espírito Santo”.

A pesquisadora e coordenadora do projeto, Pierangeli Aoki, destacou que a concepção, especificação e design da interface já estão em fase de conclusão. Depois, a equipe começará a estruturar o banco de dados do aplicativo. O projeto está na etapa de padronização e adequação da identidade visual da Plataforma Campo Livre. A parte final será a definição do design da arquitetura do sistema e o protótipo.

 

Esterilizador de ar

Levando em conta que a maior taxa de propagação da Covid-19 acontece por vias aéreas e o contagio é mais frequente em ambientes com aglomerações ou convívio de pessoas, a TecVitória está desenvolvendo uma solução para descontaminar o ar. O equipamento BioAR-700 realiza a esterilização em ambientes fechados, sendo pensado como solução para ser utilizada, principalmente, em salas de aulas, ambientes corporativos, escritórios, transportes públicos e hospitais.

Segundo o coordenador do projeto, José Fernando Fernandes Carvalho, a previsão é concluir o protótipo até meados de novembro. “Por meio do sistema de exaustão, o aparelho realiza a ventilação forçada promovendo a circulação do ar interno a 700 m³/hora. O ar capturado pelo equipamento filtra 99,97% dos microrganismos presentes no ambiente fechado, gerando um ar mais seguro e limpo”, explicou Carvalho. Após a filtragem, o ar recebe até 72w de radiação Ultravioleta-C, gerando um ar esterilizado ao mesmo ambiente do qual foi retirado.

 

Monitoramento remoto de equipamentos

Uma plataforma de monitoramento on-line de ventiladores pulmonares está prestes a ser testada no Espírito Santo. Com financiamento da Fapes, o projeto é desenvolvido pela Think Engenharia e deverá ser aplicado em algum hospital capixaba. O gerente de Operações e Projetos da empresa, Felipe Biolchini, destaca que a próxima etapa é realizar a operação real e concluir o desenvolvimento da plataforma em nuvem para monitoramento remoto.

O projeto busca abastecer um sistema de gestão de ativos hospitalares para monitoramento on-line de equipamentos de ventilação pulmonar, com informações de status operacional e localização aproximada. Biolchini reforçou que, ao concluir o projeto, vai poder fornecer uma solução de Internet das Coisas para a gestão de ativos hospitalares de fácil escalabilidade e implantação.

Em conjunto, também está o desenvolvimento de dashboard – painel visual que apresenta, de maneira centralizada, um conjunto de informações e indicadores – para gestão presencial, apoiando assim os gestores de Saúde na tomada de decisão mais eficaz.

 

Ventilador mecânico

Com apoio financeiro da Fapes, a empresa i9lb adaptou um ventilador mecânico veterinário para uso no atendimento de pacientes humanos críticos, que demandem suporte respiratório. Batizado como Sattus Classe III, o equipamento surge para ampliar a infraestrutura hospitalar com tecnologia nacional.

O aparelho é uma adaptação da versão veterinária do equipamento AirVet, criado em 2018. Após o projeto ser contratado pela Fapes, a adequação para cuidado crítico em home-care foi iniciada em agosto, com previsão de conclusão em fevereiro de 2021. “Levando em consideração um cenário de escassez e emergência, o equipamento foi desenvolvido para uma configuração e operação mais simples, mantendo eficácia e segurança”, pontuou Felipe Britto Azevedo Schneider, engenheiro da empresa i9lab.

A empresa de engenharia atua há quinze anos no desenvolvimento de tecnologia e inovação na área da saúde humana e veterinária, centralizadas na ventilação e ECG, com soluções de fácil operação e custo acessível.

SERVIÇO:
PESQUISAS SELECIONADAS NO EDITAL FAPES 03/2020 - AÇÕES PARA ENFRENTAMENTO DA COVID-19


Assessoria de Comunicação da Fapes



Nenhum comentário