Últimas

Coleção de Sementes Crioulas resgata segurança alimentar em Pedro Canário

 


As sementes crioulas apresentam uma rica carga genética e nutricional. A preservação durante décadas e a capacidade de multiplicação também são atributos somados a essas sementes. Tendo em vista todas essas características e o resgate da segurança alimentar, foi criada uma Coleção de Sementes Crioulas em Pedro Canário, com a união de agricultores, lideranças rurais e extensionistas do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper).

A iniciativa nasceu a partir de relatos de criadores de galinha caipira que evidenciaram a dificuldade de alimentar os animais, principalmente com o milho, que é o cereal mais usado na alimentação. Em função dos preços e da dificuldade de produzir o milho, a atividade estava sendo inviável para pequenos criadores. A alternativa encontrada para reverter a situação foi a produção de sementes crioulas.

Dessa forma, os criadores de galinha não têm mais dependência das sementes híbridas e tornam-se autossuficientes na produção de sementes crioulas, substituindo o custo para aquisição de sementes comerciais híbridas, com características de cultivo que podem ser consideradas adequadas ao nível tecnológico dos agricultores familiares da região.

O extensionista do Incaper do Escritório Local de Desenvolvimento Rural (ELDR) de Pedro Canário, Thiago Carvalho Nogueira, relatou que a criação da Coleção de Sementes Crioulas, em 2014, iniciou com 10 litros do milho da variedade Fortaleza, que apresenta rusticidade e produtividade adequada, além de ser muito palatável para as criações. Atualmente, a coleção atendeu aproximadamente 30 agricultores familiares em Pedro Canário, outros municípios do norte do Estado, sul da Bahia, Minas Gerais e São Paulo, com a marca de 54 litros de sementes repassadas. 

A coleção de sementes conta com quatro variedades crioulas de milho, das variedades Fortaleza, Cateto, Milho Branco para canjica e Palha Roxa, além da variedade Imperador, que foi lançada pelo Incaper em 2019. O ELDR também dispõe de sementes de feijão crioulo da variedade Cinquentinha e de semente de bucha para banho. Essas sementes foram conseguidas por meio de parceria com os agricultores familiares e também com o Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) do Espírito Santo. 

“Detectamos que um grande problema era a alimentação de galinhas, o que impossibilitava a criação porque o milho estava caro. Começamos o repasse de sementes para criadores interessados com a condição de nos devolver a mesma quantidade, possibilitando, assim, atendermos outros criadores. O principal objetivo dessa ação é de beneficiar os agricultores e diminuir os custos em suas propriedades”, destacou Thiago Carvalho Nogueira.

Apenas durante sua infância que o agricultor familiar Marcos Antônio Moreira Silva se lembra de ter visto sementes crioulas. A tradição do cultivo se perdeu na região onde cresceu, em Pedro Canário, e somente foi resgatada com a coleção de sementes criada no município com o auxílio do Incaper. 

“Eu recebi as sementes de milho para um plantio experimental e a plantação despontou. Além disso, o desempenho da variedade no ataque de pragas é satisfatório. No paladar, o milho é muito bom cozido ou assado, a carga energética é muito sentida na alimentação com a semente crioula e a aceitação dos animais é excelente. Só tenho a agradecer ao trabalho de assistência técnica do Incaper que esteve muito presente na pandemia, mesmo de forma remota, auxiliando a minha propriedade e a comunidade”, relatou Marcos Antônio Moreira Silva.

A segurança alimentar, o resgate cultural e a troca de sementes pelos agricultores foram os principais fatores sociais ressaltados pelo extensionista do ELDR de Pedro Canário, Claudio Rodex Junior, para a criação da coleção de sementes.

 “Outros objetivos são: auxiliar na disseminação desses materiais na região e possibilitar aos criadores de animais, principalmente de pequeno porte, continuem minimizando os custos e também usando o milho para outras atividades econômicas como a venda do milho verde, além de buscar a segurança alimentar por meio de um alimento saudável”, disse Rodex Junior


Projeção de novas variedades de sementes

A projeção dos extensionistas é de aumentar a coleção de Sementes Crioulas tendo o milho como carro chefe e sementes como abóbora, além de outras que possam surgir para sistematizar os resultados e índices agronômicos e econômicos dessas variedades junto aos agricultores. Os extensionistas informaram ainda uma parceria para recebimento de sementes crioulas sementes de outras plantas, inclusive de hortaliças, o que irá promover novas variedades. 

A experiência de sucesso na criação do Banco de Sementes Crioulas foi destaque no HorizontES em Extensão. A iniciativa foi escolhida pelo Centro Regional de Desenvolvimento Rural (CRDR) Extremo Norte. O coordenador do CRDR, Lázaro Raslan, destacou os diversos benefícios do cultivo das sementes. 

“Além da carga genética selvagem vinda dos ancestrais, as sementes crioulas podem reduzir a zero o custo de produção devido à sua multiplicação. As sementes também tendem a se comportarem e resistirem melhor em condições climáticas adversas. A tradição que havia sido esquecida é muito valiosa. De forma despretensiosa iniciamos esse projeto, mas não imaginávamos chegar nesse sucesso. Convidamos nossos colegas de outros escritórios a participarem desse projeto e trocarem sementes crioulas conosco”, salientou Lázaro Raslan.

 

HorizontES em Extensão

O HorizontES em Extensão foi lançado pelo Incaper no ano de 2019, visando à troca de conhecimento e capacitação em processos de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater). O projeto apresenta 11 experiências com relevância para o desenvolvimento rural do Espírito Santo, selecionadas pelos Centros Regionais de Desenvolvimento Rural (CRDRs).

Outros objetivos são o reconhecimento e valorização do trabalho realizado pelos extensionistas, técnicos e pesquisadores do Incaper, que têm grande importância no desenvolvimento das ações de sucesso junto aos agricultores. 

Neste ano, devido à pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), o evento acontece de forma virtual, com transmissão on-line pelo canal do Incaper no YouTube, ao longo dos meses de outubro e novembro.

Confira o vídeo da experiência de Pedro Canário.



Assessoria de Comunicação do Incaper

Nenhum comentário