Últimas

Qual o melhor investimento para meu 13º salário?

O dinheiro extra do 13º salário pode ser a porta de entrada para o mundo dos investimentos. Veja as recomendações de como começar


Chega o fim do ano e os trabalhadores com carteira assinada já sabem que vão receber a remuneração do 13º salário, uma vez que esse é um direito trabalhista garantido por lei. Uma dúvida recorrente é: o que fazer com o dinheiro extra? Pagar dívidas, começar a investir, montar uma reserva de emergência ou gastar?

O pagamento desse benefício cai na conta bem na época em que, normalmente, se gasta mais por causa do Natal e das festas de final de ano. Mas, se a sua intenção é começar a investir, esse pode ser um bom momento para começar.

A primeira parcela, sem qualquer desconto, tem que cair até o dia 30 de novembro (a menos que o trabalhador tenha decidido antecipar o pagamento ao tirar férias); a segunda parcela, com o desconto do Imposto de Renda, cai até o dia 20 de dezembro.

 

Objetivos com o 13º salário

Antes de começar a investir, é fundamental quitar as dívidas, porque os juros cobrados pela instituição financeira em geral são mais elevados do que o obtido com o rendimento na maior parte das aplicações.

Se você não tem dívida, o primeiro passo para começar a investir é montar a sua reserva de emergência, um capital que fica investido em aplicações com maior segurança e liquidez, para cobrir gastos eventuais e inesperados. Quem ainda não montou sua reserva de emergência pode usar o dinheiro do 13º salário para começar a fazê-lo.

Para investidores que já possuem a reserva, as melhores alternativas de investimento dependem do perfil de investidor.

 

Como investir o 13º salário

Não existe uma melhor forma para investir, mas a mais adequada para cada perfil de investidor, objetivo financeiro e prazo.

Investidores com perfil conservador e moderado e que queiram montar a reserva de emergência, por exemplo, podem optar por investir em ativos da renda fixa, como CDBs e títulos do Tesouro Direto. São ativos que oferecem segurança, liquidez e que possuem custos baixos, muitas vezes sem qualquer taxa da parte do banco ou corretora.

Por outro lado, investidores com perfil arrojado e que tenham a reserva de emergência montada podem investir em ativos da renda variável, como ações, fundos de ações ou multimercados. São aplicações que oferecem maior potencial de retorno, embora a contrapartida seja o risco maior e custos como taxas de administração.


Com Informações Exame