Últimas

Centenas testam positivo para Covid em festival hindu na Índia

Devotos hindus participam de celebração no rio Ganges, na Índia Foto: ANUSHREE FADNAVIS / REUTERS

Ao menos 704 devotos hindus foram diagnosticados com Covid-19 desde terça-feira (13) na cidade indiana de Haridwar, onde ocorre neste mês o festival religioso Kumbh Mela. A celebração é marcada pela aglomeração de adeptos do hinduísmo nas margens do rio Ganges, considerado sagrado pela religião.

Devotos hindus participam de celebração no rio Ganges, na Índia Foto: ANUSHREE FADNAVIS / REUTERS


Autoridades de saúde da Índia coletaram mais de 20 mil amostras de participantes da festividade, de acordo com a BBC. Desse total de testes, 110 tiveram resultado positivo para o coronavírus nesta quarta-feira. Entre eles, nove gurus do hinduísmo. Outros 594 casos de Covid-19 foram confirmados entre os devotos no dia anterior.

Devotos hindus participam de celebração no rio Ganges, na Índia Foto: ANUSHREE FADNAVIS / REUTERS

A celebração coletiva é marcada pelo mergulho dos devotos no rio Ganges. Os hinduístas acreditam que as águas do rio sagrado têm poder de purificação dos pecados e de salvação.

A estimativa é que cerca de cinco milhões de peregrinos visitem a cidade de Haridwar, no norte do país, onde ocorrem as celebrações deste ano. Segundo a BBC, cerca de 900 mil pessoas deram um mergulho no rio Ganges apenas nesta quarta-feira.


Essa edição do festival ocorre em meio ao avanço da pandemia de Covid-19 na Índia. O país registrou 184.372 novos casos de Covid-19 na terça-feira (13), o maior aumento diário durante toda a pandemia.

O Kumbh Mela acontece a cada 12 anos e é realizado sempre em quatro cidades, que se alternam como sede. Especialistas em saúde apelaram pelo cancelamento do evento, mas o governo ignorou a orientação. O argumento foi de que as regras de segurança seriam seguidas, o que não foi observado.


Tirath Singh Rawat, ministro-chefe do estado indiano de Uttarakhand, onde fica Haridwar, defendeu a realização da festividade religiosa em entrevista à BBC.

"Estamos seguindo as diretrizes do ministério da saúde e a taxa de recuperação é boa", disse. "Os preparativos também são adequados para lidar com qualquer situação", acrescentou.


Época