Últimas

Senado aprova inclusão de 78 municípios de Minas e 4 do ES na Sudene

Carlos Viana (na tela) foi o relator do projeto no Senado; o texto vai à sanção do presidente da República   Foto: Agência Senado

Depois de quase 15 anos, foi aprovado naa noite desta quinta-feira, 27, em turno único no Senado Federal, por 57 votos a 9, o Projeto de Lei Complementar (PLC) nº 148/2017, que amplia a área de abrangência da Sudene para o Vale do Rio Doce. Serão beneficiadas 78 cidades da região, mais 4 municípios do Espírito Santo: Aracruz, Governador Lindenberg, Itarana e Itaguaçu.

A medida beneficia todos os municípios no entorno de Mantena (MG), como Nova Belém, São João do Manteninha, Central de Minas, Mendes Pimentel, Itabirinha e São Félix de Minas (Veja lista completa no final do texto).

O projeto original foi apresentado em 2007 pelo ex-deputado José Fernando Aparecido (PMDB), mas foi arquivado em 2011. Em 2015, O deputado federal Leonardo Monteiro (PT) apresentou o PLC nº 119, desarquivando o anterior e incorporando esses 78 municípios do Vale do Rio Doce. O projeto foi aprovado no plenário da Câmara em 2017 e em seguida enviado ao Senado. Hoje, foi aprovado no Senado, com orientação favorável da grande maioria dos partidos e alguns que liberaram suas bancadas.

Foram apresentadas 4 emendas, uma delas incluindo municípios do norte do RJ, mas o relator, Senador Carlos Viana rejeitou todas, mantendo o texto aprovado na original. Se tivesse qualquer mudança, o PL teria que retornar à Câmara. Agora, o projeto vai à sanção presidencial e em caso de veto total ou parcial, retorna ao Congresso para apreciar se mantém ou derruba o veto.

O prefeito André Merlo (PSDB) destacou o trabalho incansável para que esse projeto fosse aprovado. “Foram muitas idas a Brasília, muita articulação política para que enfim, conseguíssemos garantir essa aprovação. Esta inclusão é de extrema importância para conseguirmos reerguer o Vale do Rio Doce. Após a sanção do Presidente Bolsonaro, 84 cidades da nossa região passarão a contar com recursos do Fundo Constitucional do Nordeste, além de ter acesso a linhas de crédito especiais e incentivos fiscais para atração de investimentos. Na prática, serão novos empregos gerados, mais ferramentas de combate à seca, desenvolvimento econômico e social, incentivo às atividades produtivas e justiça social. Estamos muito felizes com esta tão importância notícia”, comemora o Prefeito de Valadares.

O deputado federal Leonardo Monteiro, co-autor da matéria na Câmara, também comemora o feito. O parlamentar, que é valadarense, reconhece o esforço de diversas lideranças e a sensibilidade dos congressistas, primeiro na Câmara dos Deputados e agora no Senado Federal.

“A sensação é de muita alegria. Agora nossa cidade e a região estão prontas para o desenvolvimento. A aprovação do orojeto é o resultado do empenho de várias lideranças da região. Quero destacar o deputado federal Fabinho Ramalho, Eros Bionine, Leonardo Quintão. O próprio Rodrigo Pacheco que é presidente do Senado e conduziu essa votação, era deputado conosco e votou favorável ao projeto. Lembrar também dos senadores Carlos Viana e Antônio Anastasia e as entidades como Associação Comercial, Ardoce e Assoleste. Tudo e fruto de um trabalho coletivo”, ressalta.

O que é a Sudene

A Sudene – Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste foi criada em 1959 para incentivar o crescimento econômico de toda a Região Nordeste do país. Trata-se de uma autarquia especial que faz parte da Administração Indireta do Governo Federal, com sede na cidade de Recife, capital do estado de Pernambuco.

Atualmente, a Sudene abrange totalmente os estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, da Paraíba, de Pernambuco, Alagoas, Sergipe e da Bahia. O órgão já atende a 161 municípios de Minas Gerais e 26 do Espírito Santo. Ao órgão, cabe promover o desenvolvimento includente e sustentável do Nordeste e fomentar a integração competitiva da região nos mercados nacional e internacional.

Com a aprovação do projeto, os municípios contemplados passarão a ter também acesso a linhas de crédito especiais, a incentivos fiscais e aos recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), bem como possibilidade de aumento das alternativas de financiamento às atividades produtivas locais, criando oportunidades de emprego e renda e gerando mais desenvolvimento não só para o Vale do Rio Doce, mas para toda Minas Gerais. “Hoje tivemos uma grande vitória para a população de Minas Gerais. A inclusão do Vale do Rio Doce na Sudene vai recuperar uma dívida com esta região, pois hoje, se tirarmos Valadares do contexto, sobram cidades com Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) muito baixo. Até mais baixo do que o Vale do Jequitinhonha e do Norte de Minas, porque como as regiões de lá já estão incluídas na Sudene e eles têm outros impulsos de desenvolvimento. Incluir esses municípios será garantir mais desenvolvimento para toda a região”, lembrou o deputado Leonardo Monteiro.

Confira municípios incluídos

Açucena, Água Boa, Águas Formosas, Aimorés, Alpercata, Alvarenga, Angelândia, Aricanduva, Arinos, Ataléia, Bertópolis, Bonfinópolis de Minas, Braúnas, Campanário, Cantagalo, Capitão Andrade, Carlos Chagas, Carmésia, Catuji, Central de Minas, Coluna, Conselheiro Pena, Coroaci, Crisólita, Cuparaque, Divino das Laranjeiras, Divinolândia de Minas, Dom Bosco, Dores de Guanhães, Engenheiro Caldas, Fernandes Tourinho, Formoso, Franciscópolis, Frei Gaspar, Frei Inocêncio, Frei Lagonegro, Fronteira dos Vales, Galiléia, Goiabeira, Gonzaga, Governador Valadares, Guanhães, Imbé de Minas, Inhapim, Itabirinha, Itaipé, Itambacuri, Itanhomi, Itueta, Jampruca, Jenipapo de Minas, José Gonçalves de Minas, José Raydan, Ladainha, Leme do Prado, Malacacheta, Mantena, Marilac, Materlândia, Mathias Lobato, Machacalis, Mendes Pimentel, Monte Formoso, Mutum, Nacip Raydan, Nanuque, Naque, Natalândia, Nova Belém, Nova Módica, Novo Oriente de Minas, Ouro Verde de Minas, Paulistas, Pavão, Peçanha, Periquito, Pescador, Piedade de Caratinga, Ponto dos Volantes, Poté, Resplendor, Riachinho, Sabinópolis, Santa Bárbara do Leste, Santa Efigênia de Minas, Santa Fé de Minas, Santa Helena de Minas, Santa Maria do Suaçuí, Santa Rita de Minas, Santa Rita do Itueto, Santo Antônio do Itambé, São Domingos das Dores, São Félix de Minas, São Geraldo da Piedade, São Geraldo do Baixio, São João do Manteninha, São João Evangelista, São José da Safira, São José do Divino, São José do Jacuri, São Pedro do Suaçuí, São Romão, São Sebastião do Anta, São Sebastião do Maranhão, Sardoá, Senhora do Porto, Serra Azul de Minas, Serra dos Aimorés, Setubinha, Sobrália, Taparuba, Tarumirim, Teófilo Otoni, Tumiritinga, Ubaporanga, Umburatiba, Uruana de Minas, Veredinha, Virginópolis, Virgolândia, além dos municípios de Aracruz, Governador Lindenberg, Itarana e Itaguaçu, no Espírito Santo.


 
Fonte: Agência Senado/O Contestado