Últimas

Restaurante que estava funcionando com ‘self-service’ é interditado pela Vigilância Sanitária no Pará



Durante uma ação pela passagem do Dia da Vigilância Sanitária, fiscais da Divisa flagraram no centro comercial de Santarém, oeste do Pará, um restaurante descumprindo as normas do Decreto Municipal nº 164/2020 que proíbe o funcionamento no sistema self-service, na qual o cliente pode ir até o buffet para servir o seu prato. O estabelecimento foi interditado provisoriamente.
O decreto foi publicado no dia 21 de junho deste ano e permitiu que os restaurantes que durante três meses puderam funcionar apenas com delivery e retirada de pedidos no balcão, voltassem a receber os clientes no salão com limitação de duas pessoas por mesas, porém, o self-service continua proibido em razão dos riscos sanitários.
De acordo com o coordenador da Divisão de Vigilância Sanitária, Walter Matos, além de estar ofertando um serviço que está vedado por decreto municipal, o restaurante tem pendência de licença e os funcionários não estavam usando os equipamentos de proteção individual em sua totalidade, principalmente máscaras de proteção.
“No decreto municipal está proibido o self-service, mesmo assim, havia oferta do serviço nesse restaurante. Outra situação irregular que constatamos é em relação às boas práticas. Os cozinheiros estavam sem máscaras, o estabelecimento não tem licença, o proprietário também estava sem máscara. Nós fizemos a orientação e como medida cautelar o estabelecimento foi interditado. Amanhã o proprietário deve se enquadrar dentro das normas sanitárias e só então poderá voltar a funcionar”, explicou Walter Matos.

O coordenador da Divisa reforçou sobre sobre o risco do self-service nesse momento de pandemia do novo coronavírus. “No self-service as pessoas falam em cima do alimento, sem máscaras, gotículas de saliva podem pegar tanto nos alimentos quando nos utensílios ali expostos, que outras pessoas vão tocar. Então, nós estamos orientando os estabelecimentos a fazerem uma barreira física e que um funcionário que esteja devidamente protegido com EPIs e sem sintomas gripais possa servir aos clientes de maneira segura”, observou.
Walter Matos também destacou que a população deve ser mais consciente no momento em que buscar um restaurante para fazer suas refeições, e que todos devem fazer uso de máscara que além de obrigatório, é a forma mais eficaz de se prevenir do contágio pelo novo coronavírus.

Com Informações G1 Globo




Nenhum comentário